Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Hortas Urbanas dos Olivais

 
Enquanto desenhava o portão, apareceu um senhor que abriu o cadeado e entrou no pequeno terreno sem me perguntar o que fazia ali, ou mesmo dizer boa tarde.
-Boa tarde, disse eu, é o senhor que cultiva isto?
-Não, é o meu filho mas ele está doente e eu vim dar uma ajuda.
-Ah, pois, é para isso mesmo que servimos para os filhos... Isto são couves?
-Não, são lombardos.
-Ah!
E por aqui se ficou o diálogo. Ele começou a cavar fora do meu ângulo de visão, eu continuei a desenhar, cada um de nós no seu mundo... 
 
 

7 comentários:

Marcelo de Deus disse...

Grande regresso

Maria Leonor Janeiro disse...

Muito bonito
Leonor Janeiro

Urban Sketchers Portugal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
teresa ruivo disse...

Bem se vê que não percebes nada da horta! Só de desenhos. E muito :)

hfm disse...

O que eu gosto deste desenho. Tem tudo o que um bom sketch deve ter, desenho e história.

Fernanda Lamelas disse...

Obrigada!

André Duarte Baptista disse...

gosto muito