Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

domingo, 31 de janeiro de 2021

casal do mogo


Casal do Mogo - freguesia de S. Pedro da Cadeira

infopédia: Do latim monachus, 'monge', ou do português antigo mogo, 'marco para limitar um terreno'. Encontra-se também na Galiza. Tem os derivados Mogão, Mogãos, Mogões e Mogos.

 

Mister Pijama. Mike D confinado

Almofada e telemóvel. O sofá, esse fiel companheiro. 

sábado, 30 de janeiro de 2021

Visita Virtual | 64ºEncontro desenho em Diários Gráficos

 Hoje foi dia de participar na Visita Virtual | 64ºEncontro desenho em Diários Gráficos, organizado pelos USKP Açores. Foi uma visita interessante à exposição Vida, Modos de Usar, no Museu Carlos Machado, da cidade de Ponta Delgada, na ilha de S. Miguel.







Desafio 3

Indumentária de confinamento - mas só ao fim do dia...

Pijama, robe, pantufas...

Um desafio... confortável!


Ruínas

 


Ruínas
"Se é sempre Outono o rir das Primaveras,
Castelos, um a um, deixa-os cair...
Que a vida é um constante derruir
De palácios do Reino das Quimeras!

E deixa sobre as ruinas crescer heras,
Deixa-as beijar as pedras e florir!
Que a vida é um continuo destruir
De palácios do Reino das Quimeras!

Deixa tombar meus rútilos castelos!
Tenho ainda mais sonhos para erguê-los
Mais alto do que as águias pelo ar!

Sonhos que tombam! Derrocada louca!
Sao como os beijos duma linda boca!
Sonhos!... Deixa-os tombar... Deixa-os tombar."

Florbela Espanca


Ver menos


Visita Virtual | 64ºEncontro desenho em Diários Gráficos

Ora acabámos agora mesmo a visita virtual por zoom meeting, a minha primeira vez a participar num encontro neste formato!

Fiz os desenhos meio em caderno meio no ipad, aqui o confinamento deixou-me desprevenida de materiais... já não tenho mais cadernos (desgraça!!!) livres.

Partilho aqui os desenhos e já agora pergunto: os urbansketchers são contra os desenhos no ipad? 


caderno pagina 2









sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Descoberta Verde Caseira

 À descoberta das árvores e plantas cá de casa, terminámos na história da conservação dos alimentos - salgadouro/salgadeira da trisavó


desenho de Tomás Duarte Baptista


desenho de André Duarte Baptista






Descoberta Verde Caseira

5º dia de confinamento,
Descoberta Verde Caseira: 
Orquídea olhos de boneca e 
Espada-de-são Jorge








 

Vamos fazendo bolos...


 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

contrastes

 


Bairro de Nova Oeiras

Nova Oeiras foi claramente influenciada pelas tendências renovadoras do modernismo arquitetónico e urbanístico, baseadas nas conceções de Le Corbusier e definidas na Carta de Atenas (1933), que propunham espaços humanizados assentes em “cidades-jardim”.
O plano geral de Nova Oeiras esteve a cargo do arquiteto Cristino da Silva, com estreita colaboração de Pedro Falcão e Cunha e de Palma de Melo (este último, no projeto da Estalagem). O enquadramento paisagístico foi elaborado por Gonçalo Ribeiro Teles e Edgar Sampaio Fontes. Os painéis de azulejos na antiga Estalagem são de Rogério Ribeiro.
A construção do núcleo-base (centro comercial; blocos e torres) ficou concluída em 1961.
 

Quarentena desenhada 2021 - Desafio #3 - Miss Pantufas, Mister Pijama

O confinamento puxa por um dress code próprio, não é?
Desenhem pantufas, pijamas, chinelos, meias, robe, camisa de dormir, todo um vestuário tão confortável para quem está obrigado(a) a estar em casa.

Já sabem que será desenho de observação, in situ, um desenho que registe directamente o que observamos.

Publiquem usando as etiquetas #QuarentenaDesenhada2021 #uskpDesafio3

Todas as quintas-feiras, um desafio novo.

Participem e bons desenhos!

Conversas Virtuais - Edição 1 - 30 Janeiro 2021

 


Estes são os primeiros convidados na estreia das Conversas Virtuais USkP já no próximo sábado dia 30 de Janeiro às 17h (hora de Portugal Continental) através do nosso canal de You Tube:
https://www.youtube.com/channel/UCLmUOKrbTDLqzeAJQK2bOAw

Portugal, Brasil e Espanha ligados pelo prazer do desenho e das palavras.

Apareçam!


A minha 1111ª publicação

E hoje que faço a minha 1111ª publicação neste blogue, escolho um desenho que fiz recentemente e que resultou da proposta ao desafio lançado pelo Gabi Campanario na oficina singular #7. Usei apenas uma caneta - Pillot Parallel pen - que a meio do desenho ficou sem tinta e tive de a recarregar, mas o azul não era o mesmo, daí que parece que usei outro material. Ia-me baralhando toda com o loureiro em primeiro plano, mas consegui apanhá-lo.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Casal do Barro


 

Ai que saudades

Praia da Ursa



Espada-de-São-Jorge

 



Uma das minhas ultimas aquisições

Os meus delicados amigos, livres dos constrangimentos de um diário gráfico :)




A intenção era pendurá-los numa árvore para a fotografia, para que ficassem no lugar que lhes é mais próprio, mas estes dias de chuva e humidade não permitiram, e ao fim de quase uma semana de espera, decidi publicá-los mesmo assim. 

Fui pintando as aves do quintal nas delicadas folhas de papel higiénico, o protagonista do desafio da semana passada. De manhã, quando lhes sirvo o pequeno-almoço, melros, piscos, pardais, rabirruivos, e outras aves, aparecem logo e fico muitas vezes a desenhá-los ou a observá-los apenas. Há muito que largas centenas de desenhos destes seres que me são tão queridos povoam os meus diários. 

O papel higiénico inspirou-me usá-lo como suporte. Vieram belas memórias do tempo em que pintava em papel de embrulho de drogaria, quando tinha vinte anos. Sempre gostei de papéis porosos e rústicos, e que, como este papel higiénico, evocam papel de arroz.

Pensava inicialmente fazer, e em dias mais solarengos o farei, uma instalação deles numa árvore, e desenhar depois, publicando o resultado.

Foi tão agradável, que acho que não fica por aqui... Este suporte tem algo que me agrada muito próximo de uma arte efémera.

terça-feira, 26 de janeiro de 2021

De volta ao confinamento


 

Poço

 

Casalinhos de Alfaiata - Silveira - Torres Vedras

Manjericão


 

Phoenix Reclinata Jacq.

 Desenhos do confinamento


Rabiscos em dias de confinamento...

Noite de Eleições Presidenciais 2021

Reportagem gráfica da noite eleitoral - Presidenciais 2021 😀 E assim se passou a noite, acompanhar os resultados eleitorais e a rabiscar...

Confinamento desconfinado

Fui fazer o meu "passeio higiénico" no jardim do Campo Grande, na manhã de domingo, dia 17 de janeiro. Estávamos no primeiro fim de semana do (re)confinamento. 

O que vi deixou-me enervada e desgostosa. Como é possível os adultos não saberem (ou não quererem saber) que os parques infantis não são para ser usados. Quem cortou as fitas??

Levava o meu caderno e fiz logo este sketch rápido a lápis que pintei em casa.

Nessa manhã, presenciei tantas situações de "chico-espertice" que traduziam interpretações mais ou menos criativas das exceções  ao  #fiqueemcasa". Sempre fomos um povo "desenrascado."..

Claro que assim não iríamos a lado nenhum neste confinamento desconfinado...

Em (con)sequência, mais medidas de  confinamento viriam a ser tomadas, mais controlo viria a ter que ser efetuado, a palavra "proibido" apareceria  na lista de medidas adicionais, as coimas por incumprimento seriam maiores e viriam a ser cobradas "no ato". Tudo isto não poderia ter sido evitado? Para onde foi o nosso civismo??



Amarelo

Uma tarde de verão quente em Parede, Cascais

 

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Casal da Portela de Cima

 


Eleições - Os membros da mesa


Nestas eleições estive como delegada a uma das mesas de voto de Alfama. Como a maior parte das pessoas foi votar durante a manhã, tive um tempinho livre para poder desenhar os membros da mesa.

Etegami para Sofia Palma


 Este etegami anuncia a vinda do Ano Novo Chinês a 12 de Fevereiro. Será o ano do Boi.

O meu dragoeiro precisa de ser desenvasado



Dragoeiro
Dracaena draco L.

Família | Dracaenaceae

Características

Caducidade | folha persistente
Altura | até 15m
Longevidade | pode atingirs os 500 anos
Floração | agosto e setembro
Maturação dos frutos | setembro a dezembro

Descrição da árvore:

Copa | faz lembrar um fóssil vivo. O tronco é curto e, com o crescimento, divide-se em ramos robustos que formam uma copa densa e quase plana.

Tronco | robusto de material fibroso, acinzentada, marcado por cicatrizes foliares e em geral fortemente fendilhado e com extensas porções secas e solta.

Folhas | grandes até perto de 60 cm de comprimento e de cor verde-azulada.

Flores | flores odoríferas, hermafroditas, pequenas, de cor verde-esbranquiçada.

Frutos | baga globosa, com 14–17 mm de diâmetro, geralmente monospérmico, inicialmente amarelo-esverdeado, tornando-se laranja brilhante quando maduro, com 1,5cm de diâmetro.

Habitat e ecologia | Apesar de comum e muito apreciado como planta ornamental em jardins daqueles arquipélagos, o dragoeiro encontra-se vulnerável no estado selvagem devido à destruição do seu habitat. A sua abundância varia entre relativamente comum nas Canárias a raro na ilha da Madeira e na maioria das ilhas açorianas. É o símbolo vegetal da ilha de Tenerife.

Utilização

Árvore com interesse ornamental.

Utilizado em fármacos e em tinturaria.

 

Curiosidades

O dragoeiro deve o seu nome à cor da sua seiva, que depois de oxidada por exposição ao ar forma uma substância pastosa de cor vermelho vivo que foi comercializada na Europa com o nome do sangue-de-dragão ou drago. O sangue-de-dragão atingia preços elevados, sendo a sua origem conservada um mistério por muito tempo. Era utilizado em fármacos (sob o nome de sanguis draconis) e em tinturaria, constituindo nos tempos iniciais de povoamento europeu da Macaronésia, em especial das Canárias, um importante produto de exportação.

 

domingo, 24 de janeiro de 2021

Reflexão pré-votação

 


Eleições 2021




O meu jindungueiro

Jindungueiro (capsicum Frutescens)

Crisóvão Colombo descobriu esta planta nas Antilhas. Foi mais tarde levada para Portugal e para o Brasil, onde passou a chamar-se "pimenta-malagueta". Depois, os navegadores levaram-na para África e para a Ásia. Em Angola deram-lhe o nome de "jindungo" ou "piri-piri". Na Índia, é o ingrediente essencial do caril. O nível de picante, medido na escala de Scoville pode variar entre o médio (de 30.000 a 50.000 unidades) a forte (175.000 unidades).

 

A votos.

Mascarados e distanciados, todos às urnas!!!



Etegami para Alexandra Baptista


 

Presidenciais 2021



São tempos tão estranhos estes que estamos a viver... amanhã é dia de eleições e sinto um apelo contraditório. Nasci num estado democrático e sei que exercer o direito de voto representa contribuir para o seu fortalecimento, contudo existe uma insegurança crescente relativamente à pandemia que vivemos. Por um lado temos o dever do confinamento e por outro somos nós cidadãos, que temos o dever de consolidar os nossos direitos porque somos nós que exercemos o poder político que decorre do sufrágio universal direto. 
Não preparei as canetas porque as tenho sempre comigo e estou pronta para ir votar!