Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quinta-feira, 12 de julho de 2018


As casas de férias da Costa da Caparica

Vendo com atenção, escondem-se por de trás de sebes altas e muito fechadas, a guardar a intimidade de quem passa na rua, e por isso é difícil repararmos nelas á primeira, mas com calma e perspicácia elas mostram-se aos olhares mais atentos.
Esta que que hoje desenhei está na rua de Stº. António, onde passo muitas vezes para ir ao pão e ao café, o seu nome, escrito num bom azulejo português é um pouco enigmático, mas percebe-se que terá sido uma qualquer ternura de família, chama-se 
" Casinha dos Pipolihnhos" seja lá o que isso for.























Outras virão, que é o que aqui não falta.

3 comentários:

Ana Carvalho disse...

Linda aguarela, belas cores, tenho que ir lá espreitar esta casinha tão tradicional...que boa ideia ir à descoberta destes recantos!

João Fidalgo disse...

Gosto muito,principalmente das cores. Também ando por estas bandas, mas a desenhar os antigos palheiros da costa da Caparica. Muito boml

Rosário disse...

Belo!