Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 2 de abril de 2018

As formas de um formador


A primeira vez que me encontrei com o António Procópio foi durante a sua oficina na Casa-Atelier Vieira da Silva, há quase três anos. Nessa altura, ele estava a ensinar-nos a ver a sua perspectiva, e como dividir a tela da nossa visão em formas, de maneira que todas encaixassem umas com as outras, para criar este mosaico complexo que vemos em toda a parte.


A semana passada, em Portimão, tive o privilégio de ensinar numa oficina de desenho com ele, sobre perspectivas distorcidas. Tivemos de lidar com pontos de fuga opostos no mesmo desenho. O seu médodo de ensino foi, a invés de se focar no aspecto técnico das perspectivas, mas focava-se simplesmente naquilo que podemos ver. O António mostrou-nos como distorcer edifícios e ruas, e eu tive a tarefa facilitada de mostrar que também se pode fazer o mesmo com pessoas.


Foi um verdadeiro prazer ver o António - um educador experimentado - a lidar com desenhadores de longa data e com neófitos do secundário, com o mesmo cuidado, dedicação e mente liberta. As suas explicações dispensam bibliografia técnica sobre perspectiva, e encorajam a prática da observação directa cuidada e do desenho destemido - duas das minhas coisas favoritas!

Publicado também AQUI

7 comentários:

Isa Silva disse...

é um tipo de perspectiva q ando a criar coragem para começar a fazer :-)

Pedro Alves disse...

Uma espécie de " une os pontos... de fuga!" e tcharam, temos um desenho 180 graus ;) Mesmo bons!

UrbanSketchers Açores disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandra Baptista disse...

Grandes experiências, até parece «simples».

Sofia Gomes disse...

Fabulosos!

Procópio António disse...

Obrigado Pedro pela companhia e pelas palavras. Foi para mim um privilégio. Os teus desenhos ficaram de cortar a respiração.

Pedro Loureiro disse...

Obrigado a todos!