Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Famílias: todas diferentes, todas iguais!

As famílias são todas diferentes, mas há ciclos e etapas pelos quais todas passam.
Uma etapa difícil é a do luto, que o Natal parece ter o poder de reactivar.
De facto, é nesta época que mais sentimos a falta dos avós, dos bisavós, dos pais, ou de outros elementos que em tempos nos foram tão queridos. Felizmente as famílias crescem, reconstroem-se, multiplicam-se, vão aparecendo filhos, netos, e outras pessoas de quem gostamos muito e com as quais construímos novas memórias. É este afecto pelos novos elementos  que nos ajuda a superar as perdas dos mais velhos, de quem passamos a lembrar-nos com mais serenidade.
É por isso que gosto, não só do Natal, mas de outras ocasiões em que as famílias se juntam, criam bons momentos e boas memórias. Ontem, depois do jantar, os sofás encheram-se de guitarras, tambores, pianolas e outros instrumentos. Foi um bom momento de família, por isso escolhi-o para meu contributo no desafio deste mês.        (Desculpem se fui lamechas, mas foi como saiu!)




17 comentários:

Eduardo Salavisa disse...

É lamechas mas é bonito. O desenho mas sobretudo o texto.

Rodrigo Briote disse...

Grande ambiente

nelson paciencia disse...

Gostei tanto do teu post!

Fernanda Lamelas disse...

A "lamechice" faz parte do Natal! Gosto muito deste desenho de autêntico espírito natalício, que todos seguramente gostaríamos de ter feito!

Sofia Gomes disse...

Pode atè ser “lamechas” mas é verdade. A genuinidade do texto reflete-se no desenho e ilustra muito bem aquilo que é verdadeiramente o Natal. Bonito e genuino.

Fefa disse...

Eu não descreveria melhor o sentimento de luto e saudade que sempre está presente em cada época Natalícia e como se consegue mitigá-los com as novas alegrias que teimam em sobrepor-se-lhes.

Parabéns pelo desenho e texto!

Fefa

Rita Catita Afonso disse...

Queremos a playlist! Quem canta seus males espanta. Boas Festas :-*

Lurdes Morais disse...

Não acho nada lamechas! E gosto do desenho.

Manuela Rolão disse...

As tuas reflexões são sempre interessantes e genuínas! E com o desenho, ainda melhor! Parabéns!

Maria Leonor Janeiro disse...

O desenho mostra bem o "brilho" da família e o texto é uma " festa" de palavras.
Leonor Janeiro

Miú disse...

Não foste lamechas; foste verdadeira. E que desenho tão cheio de luz!

Rosário disse...

Bem bonitas estas lamechiches!

teresa ruivo disse...

Obrigada pelo vossos comentários. Fico contente por se terem identificado ao texto!

L.Frasco disse...

Pois eu só te agradeço teres partilhado connosco o teu Natal. E de uma forma tão sincera.

DiasVanda disse...

Tão verdadeiras, as tuas palavras. Natal sem lamechice não é Natal😉lindo poema, o teu desenho😁 festas felizes 😘

DiasVanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
teresa ruivo disse...

Obrigada a todos. Fico muito contente:)