Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Museu Soares dos Reis

Encantam-me estas "peregrinações".
Às vezes dou com um destas passagens e volto atrás para ver melhor.
Às vezes volto à frente e volto atrás só para ver o alinhamento a fazer-se e a desfazer-se, tentando decidir qual a perspectiva mais bonita.
Às vezes não abona muito para a imagem da minha sanidade mental e vejo-me forçado a explicar: "... oiço vozes que comandam as minhas pernas". Resulta sempre!

Maldito Alzheimer

Como uma metralhadora.
As palavras saiem-lhe em rajadas, secas, até agressivas. Persecutórias.
Ele ouve, cansado. Com mágoa e resignação sussurra frases tranquilizantes que não fazem eco naquela estranha de olhar vago com quem, afinal, partilhou toda uma vida.
Maldito Alzheimer.
Vou comer bróculos.
 E enfrascar-me em Ginko Biloba.
(sala de espera da Clínica dos Poetas, Oeiras)

Santa Luzia

Acho que foi a primeira vez que passei em Santa Luzia, não me recordo de lá ter estado antes.
Santa Luzia fica no Algarve, já quase em Espanha. No final de um fim-de-semana prolongado, um almoço de caldeirada num restaurante junto à ria. Apesar de gostar de desenhar comida, preferi vir cá para fora...
 

São Quintino II


Largo de Camões


Caminhar e desenhar com a escola


Hoje foi dia de caminhada com desenhos. Esta é uma actividade inserida na Semana da Escola e organizada pelos professores de educação física e educação visual. Já acontece há alguns anos e é sempre um sucesso. Éramos quase 200!

Encontro na Faculdade de Ciências

No próximo domingo dia 2 de Abril pelas 14h30 damos inicio ao Encontro na Faculdade de Ciências (Bloco 5 junto aos seguranças). Este Encontro prolonga-se e durante mais 15 dias podemos ir lá desenhar tudo (ou quase) o que quisermos.  Ver aqui como fazer.

Presença de Norberto Dorantes.


Vamos desenhar com...

A oficina da Teresa Ruivo no Museu do Carmo, integrada no "Vamos desenhar com...", que estava marcada para dia 29 de Abril foi adiada para o dia 13 de Maio. Já foi emendado no cartaz. Estamos com curiosidade de saber como ela evoluiu tanto.


Querido Barreiro - Oficina de Desenho

A convite da Associação L1B, no próximo dia 8 de abril junto ao cais da Transtejo, no Seixal, vou estar presente para mostrar os meus cadernos e desenharmos uma vista privilegiada sobre o Barreiro, terra onde vivo e ponto de partida para as travessias diárias de barco que faço para Lisboa. 

Inscrições aqui.

IV ed. CONCERTOS Ponta Delgada


Ontem no auditório de Conservatório Regional de Ponta Delgada. A Youngclass foi muito interessante e acessível à plateia que no final colocou imensas questões sobre o cravo/ piano, violoncelo/viola da gamba.
Estas foram algumas das minhas tentativas, tenho mais aqui:  |«in situ»|

Lisboa de repente


De repente surge uma vista das tais. E dá-me um certo gosto sacar da Tombow e riscar o que se vê. Também não é mau ter 4 ou 5 lápis de aguarela no bolso. Depois é ter a caneta-pincel cheia de água e fazer manchas de cor a partir dos riscos de lápis e caneta. Assim se consegue uma "foto" impressa em 5 minutos.

Largo de Arroios

Este semestre, nas aulas de desenho arquitectónico do curso de arquitectura do IST, voltamos ao Largo de Arroios, onde há pouco mais de duzentos anos decorreram episódios dramáticos retratados por  Domingos Sequeira na gravura A Sopa de Arroios, que também deu origem a um quadro a óleo (MNAA).
Além da persistências das ruas ainda se conservam alguns edifícios deste esse tempo. Por sua vez o antigo cruzeiro foi trasladado para o átrio da nova igreja, de MC Arquitectos, cujo interior merece uma visita.
Muitos consideram Domingos Sequeira um dos maiores desenhadores portugueses de todos os tempos.
Sopa de Arroios retrata o auxílio da população de Lisboa aos habitantes da região saloia que aqui acudiram fugindo à frente das invasões francesas.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Um caderno que volta à vida

Decidi trazer de volta ao mundo dos vivos um caderno que estava para aqui abandonado. Impus-me que antes de comprar mais cadernos tenho de preencher os que tenho cá por casa. Tem um papel que parece um guardanapo a absorver a tinta, mas pronto, vou tentar que isso comece a resultar a meu favor. Aqui ficam uns passageiros que parecem feitos de arame.




Por do sol no Quintal

Durante muito tempo andei a dizer aos meus colegas de trabalho coisas como "Hoje deixei a minha filha no quintal" ou " Tenho de ir ao quintal buscar a minha filha". Um dia uma colega minha perguntou-me porque raio deixava eu a minha filha no quintal. Só ai é que me apercebi que o quintal para os meus colegas era diferente do meu Quintal, localidade que dista 2 quilómetros de Mafra e onde está o Jardim de Infância da minha filha. Este Quintal tem de facto muitos quintais, alguns dos quais com muito animais, fruto da sua ruralidade. E como não existe muita construção, permite ter uma visão espectacular do mar. Este quintal em particular fica no Início do Quintal e tem ovelhas, porcos, patos, gansos e galinhas. Como está numa zona elevada, a sua vista é privilegiada. É um lugar fantástico para se ver o por do sol partilhado com as ovelhas e restantes animais.

Árvores. Bonecos de Bolso em Abrantes.

Painel da exposição na Biblioteca António Boto, Em Abrantes.

Seixal

Casa das Histórias

~




































 
 Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, numa perspetiva da entrada.



Gulbenkian


Num dia de sol assim, restam poucas escolhas! Nesta aguarela tento adaptar-me ao papel Canson, como se nota no reflexo do lago, que está incerto, quase turvo, pouco conseguido. Também se nota que, na ânsia de acrescentar camadas, algumas partes da imagem ficaram muito opacas. Da próxima vez vou tentar de outra forma..

Assembleia Geral dia 1 de Abril

É com um desenho do Nuno Matos Silva que vimos relembrar a Assembleia Geral da Associação Urban Sketchers Portugal que se irá realizar no dia 1 de Abril (é mesmo verdade) às 19 horas, como de costume na Escola Secundária Pedro Nunes em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

1. Aprovação do relatório de contas de 2016
2. Apresentação e aprovação de orçamento para 2017
3. Ponto da situação das actividades realizadas em 2016 e 2017
4. Propostas de actividades para o ano 2017
5. Listas para as eleições de cargos diretivos da Associação (a eleger na próxima reunião anual)
6. Outros assuntos

Se não puderem estar presentes, por favor façam-se representar por outro associado, através de uma Procuração que já enviámos por email, pois a não existência de um número mínimo de presentes na Assembleia Geral implica obrigatoriedade de marcação de uma nova assembleia.

Durante a Assembleia decorrerá um leilão com desenhos oferecidos pelos Associados. Pedimos, por isso, para levarem desenhos em folhas soltas.

E haverá sorteio de alguns livros "Portugal por/by Urban Sketchers".



Azeitão

 Quando não me apetece pintar, nem digitalizar...

Casas sem ruas

Aqui deixo um desenho feito num sítio incrível onde o tempo parou de contar. Chama-se Branda da Aveleira. Aos poucos, as poucas casas deste lugarejo, algures em Melgaço, longe de tudo, parecem estar a ser recuperadas; todas para turismo, pois que ali não há quem viva. Recomendo vivamente uma casinha destas para um fim de semana. Este estava cheio de neve, mas no verão também será bem agradável. De dentro do carro, com as mãos frias comecei um desenho que aprimorei em casa com recurso batoteiro à fotografia.

Lantana Camara e Aloe Africana Mill




Fim-de-semana do dia do pai.
Um sábado cheio de encontros e reencontros.
Um domingo tranquilo, a "vegetar", tal e qual como as plantas!

Belém e a marabunta

Em Belém, de manhãzinha, a ver a marabunta chegar:)
Uff...fiquei cansada e com os olhos em bico!
Tão depressa não me meto noutra!


Lá fora


Comprova-se: águas mil... e Abril anuncia-se desenvergonhadamente!

(Caneta calibrada/ fina, marcador de aguarela e datador)                                                                  |«in situ»|


Quando...

Quando o galo de Barcelos está à conversa com o coelho Dimdam em PVC, os expositor dos óculos de sol estiverem ao lado dos pinguins de peluche, quando as embalagens de M&M's chegam a ultrapassar as medidas regulamentares impostas pelas companhias aéreas das bagagens de mão e o Nicolas Sparks é top de venda, significa que estás numa sala de embarque.

E quando é assim, desenha-se. Acabou-se.

Conferencistas


terça-feira, 28 de março de 2017

Norberto Dorantes - oficina em Lisboa

O Norberto Dorantes, Mexicano a viver em Buenos Aires, está em Lisboa para orientar uma Oficina de Desenho. Será este Sábado 1 de Abril, pelas 10:30h, na Casa Atelier Vieira da Silva. Este workshop está inserido nas programações de Um Ano a Desenhar para o Futuro, e da Lisboa, capital Ibero-Americana de Cultura.
Para mais informações e inscrições, enviem um email para casa-atelier@fasvs.pt

Às 16h deste mesmo Sábado, terá também lugar uma conferência sobre o seu trabalho em diário gráfico, no auditório do Museu Vieira da Silva, junto ao Jardim das Amoreiras.
Imperdível!



#38 Livraria Ferin


Um daqueles desenhos que eu pintei e estraguei apenas porque estava numa folha de aguarela... Eu gostava tanto do desenho apenas com linha que quando o pintei fiquei desiludido e pensei que podia ser perfeito para experiências. Para além das aguarelas, levou com uma dose substancial de lápis de cor que foge completamente da realidade que eu normalmente gosto de preservar nos meus desenhos.

Uns sketches de instinto

Assim daqueles em que a mão avança distraída e irreflectidamente...




Ainda Minde

Ainda faltou publicar este desenho feito no encontro em Minde. É o resultado de uma brincadeira que fiz com o Tomás Reis e que consistia em mapear o edifício do Museu da Aguarela Roque Gameiro colocando todos os alçados no mesmo plano. Faltou caderno para concluir o lado direito. Na prática o resultado final interessa muito pouco. O divertido mesmo é fazer o exercício agarrando a perspetiva que nos vai escorregando, tentando domá-la e brincar com ela até onde a razoabilidade do olhar o permite. Fazer asneiras e continuar como um miúdo à descoberta, absorvendo de olhos bem abertos cada centímetro do edifício.

Cafeés de fim de semana




tubos

Estação de Algés, num dia chuvoso


Estação de Paço de Arcos, num dia cinzento

Ofir




Ofir, Portugal, 01.2017

Dia 22 - O caos!

Chove a potes. A marginal está fechada. Não há comboios. O viaduto de Alcântara está encerrado. O trânsito está infernal. Credo! Que caos! Enquanto (des)espero, tento desenhar o que vejo.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Mulheres da minha vida

A minha mãe a fazer o jantar

Nini na cadeira de baloiço

Só fica a faltar a pequena Alice :)

Parque aquático

Tenho um parque aquático e casa. Pelo menos é assim que a Júlia vê a banheira cá de casa. São mergulhos nas profundezas, deslizamentos no escorrega, salvamentos e muitas outras aventuras.Um dos dos poucos momentos de pausa é quando dá corda ao seu peixinho cor de rosa.