Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Acanthocereus Tetragonus, Gasteria Bicolor, Austrocylindropuntia Subulata e Crassula Ovata






Quando é o momento certo para pousar a caneta? Quando sabemos dizer "chega, o desenho não vai mais longe do que isso?" Quando o processo corre bem e a caneta flui nas páginas do caderno, isso acontece de forma natural. Quase sem pensar. O problema é quando sabemos que o desenho vai correr mal desde a primeira linha! Isso acontece-me várias vezes! Resolvo a situação num instante: passo a página em frente e, mais tarde, quem sabe volto a ela. Até lá é uma página com um traço no meio de páginas com desenhos! Às nem volto atrás. Às vezes são muitas páginas assim no mesmo caderno!
Mas neste caderno não! Não pode haver páginas em branco. Não pode haver páginas com uma linha! É mais uma regra a acrescentar! Podia dizer que uma linha não é (ou não chega a ser) um desenho mal feito, mas não me convence! É antes um desenho mal começado! Mais rapidamente percebo isso e paro do que o momento certo para pousar a caneta durante o desenho!
Talvez o problema não seja da linha. Talvez seja do material ou talvez do modelo. Ou talvez o problema seja do meu estado de espírito quando escolhi o material e o modelo para desenhar! Se calhar é um conjunto de tudo mais a pressão de ter de cumprir as regras impostas por mim mesma! 
O que me convence é que uma linha mal começada é o momento certo para arriscar. Experimentar. E saber quando parar de saturar o desenho, de saturar a página! E quando não se sabe, o melhor é mesmo pousar a canetinha, fechar o caderno e ir passar a roupa a ferro!

7 comentários:

teresa ruivo disse...

Tão lindo! O primeiro desenho é de cair literalmente para o lado! Kettta, sabes esses nomes todos de cor?!!

Ketta disse...

Não sei os nomes. Mas na internet é fácil de encontrar. Há sempre alguém que descreve as plantas de forma pormenorizada :)

cláudia mestre disse...

Estão maravilhosos!

Alexandra Baptista disse...

Não me parece que a roupa mereça a mesma atenção que os teus cadernos. As páginas, todas à sua maneira, são muito poeticas e particularmente bonitas.

Pedro disse...

Que cactos e plantas mais bonitas que estás a fazer!!!

Marcelo de Deus disse...

Grande trabalho

Sara Simões disse...

Mas que bela coleção! Deixa lá o ferro de engomar e faz mais destes. Esticas a roupa bem direitinha no estendal, secas as camisas em cabides, uma boa sacudidela e estás despachada. :)