Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Porto (Ir e vir)

Não me recordo  quando foi a última vez que andei de comboio. Tenho a certeza que ainda eram as locomotivas bem velhinhas que costumamos ver agora nas viagens turísticas. E tinha, não sei bem porquê, uma ideia romântica da viagem de comboio. Assim decidi apanhar o intercidades na viagem de ida e o alfa no regresso. Na ida tinha tempo mas no regresso precisava de ir buscar as minhas filhas e com o Alfa sempre se poupa uma meia hora.
Assim que me sentei no meu lugar abri o caderno e comecei a desenhar. 3 horas de viagem serviriam de um excelente aquecimento para o Porto. Mas não foi assim porque os tremeliques do comboio deixaram-me enjoado. Penso que terá que ver com o facto de fixar as coisas quando estou a desenhar. Por essa razão este foi o único desenho que fiz. Quando terminei de desenhar o senhor à minha direita já começava a ver em duplicado. Ao longo da viagem ainda tentei voltar ao desenho mas achei melhor não arriscar mais. E assim a viagem foi longa, muito longa......

No regresso vinha mais esperançado pois dizem maravilhas do Alfa. Mas (estamos de regresso ao mas) falta a palavra seguinte que define este comboio: Pendular. E por isso o comboio Alfa pendular comporta-se como um pêndulo nas curvas. A viagem começou bem. Fiz os primeiros desenhos ainda na saída da ponte mas quando o maquinista acelera a máquina ui ui. Foi ainda pior que o intercidades. É que agora parecia que estava em constante aterragem e descolagem. Parece um avião mas não é porque o avião faz isto duas vezes.



Conclusão: Da próxima vez vou de carro.
Nota final: O encontro no Porto foi extraordinário. E uma vez que não consegui desenhar no comboio desenhei até mais não durante os dois dias.

5 comentários:

Rosário disse...

Mesmo assim ficaram óptimos!

nelson paciencia disse...

Se tens bebido uma série de finos antes de arrancares, nem te lembravas de enjoar.
Valeu que fora do comboio estiveste ao contrário de enjoado, sempre possuído pelo demónio dos bons desenhos! Quando é que eles aparecessem aqui?

Suzana disse...

Alfa e intercidades são mesmo para esquecer, também já desisti de desenhar! Mas entre enjoos e tremeliques, ficaram muito bons:) (para desenhar pessoas a linha de Cascais é ótima, bancos baixos sem tremeliques ou enjoos!)

Ana Crispim disse...

Ficaram muito bons, e quanto aos comboios parace a minha história...

Henrique Vogado disse...

Só me lembro de desenhar num intercidades até Espinho e tive de ir desenhar para a carruagem bar. De pé e encostado o melhor possível ao balcão fiz um desenho. De facto, mexe demais para conseguir um desenho com precisão. Só ficando de pé "surfando". Ainda deu para um bom 1º desenho, António.