Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

terça-feira, 7 de agosto de 2018

FLIQ-Festival Literário Internacional de Querença

Um tema que eu acho difícil, e acho para muitos desenhadores, é desenhar um grupo de pessoas onde algumas delas estão muito perto de nós (por exemplo: no metro, num jantar à volta de uma mesa, no meio de uma multidão).

Neste caso é um debate, uma mesa redonda, onde eu sou um dos participantes. A moderadora está ao meu lado direito e as outras 3 intervenientes estão ao lado dela. Foi no FLIQ (Festival Literário Internacional de Querença). Querença é uma pequena aldeia perto de Loulé. Fiz mais alguns desenhos (poucos, devido ao calor e a uma chuva com trovoada). Ver aqui.


2 comentários:

Rosário disse...

Gosto do desenho que regista estas coisas bem interessantes!

Miú disse...

Difícil, sim, desenhar pessoas de tão perto, mas conseguiste a perspectiva certa, Eduardo, com os rostos a diminuírem consoante a distância. :)