Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

domingo, 18 de março de 2018

São Vicente de Fora I

Foi a melhor manhã de chuva possível. Ou, pelo menos, mais que valeu a pena acordar e sair de casa um pouco mais cedo. Os '' esperavam-nos no Mosteiro de São Vicente de Fora e o que vi era de fazer cair o queixo.

Só pode ser ficção: no meio das ruas labirínticas da Graça cabem aqueles corredores intermináveis e aqueles dois claustros monumentais. Sem chuva, o terraço ter-nos-ia mostrado, quem sabe, a melhor vista do Tejo. Mas, mesmo assim, pudemos desenhar recantos que, claramente, não cabem nas folhas do caderno. Muito obrigado, Foto&Sketchers 2 Linhas, por esta simpática iniciativa!



2 comentários:

Rosário disse...

Que perspectiva!

Manuel Tavares disse...

Muito bom! Grande perspectiva, Tomás. Grande sketch.