Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

sábado, 6 de janeiro de 2018

Desenhar em Centros Comerciais

Cada vez tenho mais prazer a desenhar. Adoro registar cada momento. Mas há uma exceção: Desenhar em Centros Comerciais. Sempre que o faço acabo por perder o interesse a meio do desenho. Ainda não percebi bem se é a arquitetura se são as pessoas que têm um estado de espírito letárgico (pelo menos é o que observo). Mas no meio deste desinteresse, há uma vantagem. Como me desligo do desenho, deixo a mão em piloto automático, E essa linha despreocupada agrada-me.

4 comentários:

Eduardo Salavisa disse...

Percebo o que dizes. Quando já não damos nada pelo desenho é quando ele, às vezes, ganha outra dinâmica.

André Duarte Baptista disse...

Gosto muito do sentido de liberdade

Mário Linhares disse...

Também me agrada muito! ;)

João Santos disse...

Muito bom, até as linhas da estrutura captam o frenesim de um centro comercial.