Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 24 de junho de 2017

Porto_ dia III

Dia 17 de junho
 
A manhã foi de encontro os Porto Sketchers (desenhos publicados no dia 19). Após o almoço za zona de Guindais, descemos a ribeira e voltámos a subir a rua Nova da Alfândega. Decidimos retomar o tour de autocarro. O desenho que se segue foi feito enquanto esperávamos - vista para o Monumento Igreja S. Francisco
 
 
Seguimos rumo à Casa da Música. Faço, uma vez mais, um esforço para entender este tipo de soluções arquitectónicas. Ainda não foi desta. Mas mais importante que os edifícios são os programas funcionais e os conteúdos ali trabalhados. Aí o valor é inquestionável. Agrada-me sobretudo a apropriação do espaço exterior.
 
 
Voltámos ao autocarro, agora rumo a Serralves. Passamos da arquitectura "objectual", para uma arquitectura de contexto, em plena harmonia com o lugar onde se encontra implantada. Os desenhos não correram bem, talvez tenha sido o peso da responsabilidade de "desenhar" o mestre Siza Vieira... É um edifício de uma beleza incrível. E o jardim...

 
 
 

6 comentários:

Eduardo Salavisa disse...

Belas reportagens que tens apresentado ultimamente André.

Bruno Vieira disse...

Estás mesmo um expert, gostei bastante das volumetrias da casa da música e de Serralves ;)

hfm disse...

Lindo e que reportagem.Foi bom ontem ter-te encontrado.

José Louro disse...

Muito bom mesmo.

André Duarte Baptista disse...

obrigado a todos e um abraço

João Santos disse...

Esta série no Porto está fenomenal!