Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Linha Verde ( a PB)


Odeio desenhar no metro, a não ser quando fico a trabalhar até tarde e vou nestas carruagens já semi-vazias qb que me permitem puxar do caderno e desenhar à vontade sem espetar a caneta no olho de alguém. Achei piada a esta "turma" de moços nas suas vidas diárias: A miúda que se perdia no Instagram e a senhora ao lado a "cuscar" enquanto agarrava na mala com unhas e dentes, com olhar de desconfiado a pensar que a qualquer momento ia ser assaltada por um gandulo do Intendente. O jovem descontraído a instalar apps no seu Android, observado por perto pelo "bigodes" que parecia ter desertado do exercito da Confederação sulista no tempo da guerra civil Americana. E num ápice, estava no Campo Grande...

7 comentários:

Eduardo Salavisa disse...

Bem apanhados...

Marcelo de Deus disse...

Um negativo de uma fotografia que dispensa a cor.
As palavras certeiras a contextualizar, são...digamos, a revelação.

Pedro Loureiro disse...

Ganda turma de outsiders! :)

João Santos disse...

Eu acho que precisava de uma linha de metro que fosse de Lisboa ao Porto para desenhar tudo isto. Fenomenal!

Celeste Vaz Ferreira disse...

Que perspectiva!!!!

nelson paciencia disse...

Que desenho tão cinematográfico! E que bom.

USKP disse...

muito bom aspecto! (e qualidade).
-marco-