Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Agenda dos Sketchers - Maio 2017

Editorial

O final de Abril foi triste para os USkP. A Maria Celeste, uma das mais queridas e alegres urban sketchers deixou-nos. Deixa saudades no coração de muitos sketchers que por si nutriam uma grande amizade e carinho. A Agenda abre com um bonito texto de homenagem de um grupo de sketchers que, ao não o assinarem, falam por todos nós. O desafio deste mês fica adiado para Junho em sua homenagem.
Assembleia-Geral anual da Associação aconteceu no primeiro de Abril. A direcção divulgou aos presentes o seu trabalho do ano passado, do corrente ano e os projectos para o futuro, entre os quais se destaca a candidatura do Porto a anfitrião do Simpósio Internacional de USk em 2018.
O final de Abril ficou marcado pela participação dos USkP no Festival Latitudes de literatura de viagem em Óbidos.
Maio será um mês de intensa formação para todos os níveis. Quem quiser aperfeiçoar os seus riscos será melhor tirar umas férias. Vão arrancar os programas 10 Years x 10 Classes em Lisboa e no Alentejo, enquanto os restantes programas de formação continuam em pleno vigor.
Bons desenhos!
A equipa da Agenda

AGENDA DOS SKETCHERS
Maio 2017

Maria Celeste
Vamos à João do Rio?

Amizade
De mais ninguém, senão de ti, preciso:
Do teu sereno olhar, do teu sorriso,
Da tua mão pousada no meu ombro.
Ouvir-te murmurar: - "Espera confia!"
E sentir converter-se em harmonia,
O que era, dantes, confusão e assombro.

Poema de Carlos Queirós recitado por Maria Celeste

Uma vez por mês, ao Domingo à tarde, havia encontro marcado num rés-do-chão direito, em Lisboa. No topo das escadas esperava-nos sempre uma porta aberta e o sorriso caloroso da Maria Celeste.
Na Casa João do Rio encontrámos um espaço de conversas, de desenhos e de partilha. À hora do lanche nunca faltavam o chá e as maçãs assadas, regadas com vinho do Porto e canela. Maria Celeste cozinhou maçãs assadas pela primeira vez para receber os amigos dos desenhos e rapidamente se tornaram uma feliz tradição.
A João do Rio era um espaço vivo e dinâmico que a Maria Celeste transformou numa homenagem à memória do Pai, que pintou inúmeros quadros ao longo da vida.
Sete anos após o meu pai nos ter deixado,
tentei fazer o seu retrato, a óleo, a partir de uma fotografia.
...fiz e refiz muitas vezes, mas por fim fiquei satisfeita...
...vale a pena não desistir…

Post publicado no início do blog  ”João do Rio”.
A Maria Celeste descobriu já tarde o desenho, a pintura e a escultura, mas veio muito a tempo de a tornar feliz. Sonhou que a Casa, onde cresceu com os seus pais, se tornasse um lugar de divulgação do desenho, da pintura, da arte e da cultura. E conseguiu! Aquele rés-do chão direito vai estar sempre presente nas nossas memórias …
Participava intensamente nas actividades dos Urban Sketchers Portugal (USkP), grupo com o qual partilhou muitos momentos de alegria. Foi precisamente num dos encontros USkP, o 44º, em 2013, que a Maria Celeste convidou pela primeira vez alguns amigos dos rabiscos para a Casa João do Rio.
A partir daí, aquelas tardes de Domingo tornaram-se uma descoberta constante de objectos repletos de histórias e memórias. Tantas e tantas vezes a ameixoeira e o limoeiro do quintal foram desenhados! Tantas e tantas vezes que as maçãs assadas, as chávenas, as cadeiras, os comboios, os candeeiros e os papéis de parede foram imortalizados nos nossos cadernos!
Engenheira química e professora universitária, a Maria Celeste também partilhou connosco o seu fascínio pela Ciência e a paixão pelo conhecimento do Universo e seu funcionamento.
A sua presença nas nossas vidas teve e continuará a ter um grande impacto. A sua alegria e força de viver a vida, a forma como abraçava novos desafios e experiências, com a frescura de uma criança, e o seu desejo de criar e construir é inspiradora para todos os que conviveram com ela ao longo dos anos.
Deixa-nos muitas saudades, mas memórias inesquecíveis e uma grande inspiração para continuarmos a sonhar sempre e a concretizar o que desejamos para as nossas vidas.
Em memória da Maria Celeste Lopes
Os mandamentos dos urban sketchers
Por Tubafrom (Pedro Alegria)
Numa sala cheia de entusiastas ou simpatizantes do desenho urbano decorreu no passado sábado, dia 8 de Abril, o lançamento do livro “Porto por Urbansketchers”, da Editora Ponto M. Este livro, que tem por base os desenhos realizados durante o Encontro Nacional que decorreu no Porto em Setembro de 2016, é um magnífico exemplo do que se pode conseguir com a colaboração entre os sketchers urbanos e uma editora interessada em explorar este tipo de produção cultural.
O livro, um conjunto volumoso com mais de duzentas páginas de excelentes desenhos, caracteriza-se pela grande variedade exibida, que é realçada pelo modo como está organizado. Os desenhos estão agrupados por autor, o que permite seguir o percurso de cada um pelo Porto e, por outro lado, tornar o livro mais interessante do que a opção por uma ordenação meramente geográfica. Assim, torna-se um livro orientado para os autores, sendo a identidade gráfica de cada um deles colocada em evidência.
Também o formato do livro respeita esta orientação. Faz lembrar um diário gráfico, desde o elástico que prende as folhas até às duas ou três folhas em branco no fim que convidam o leitor a completar o livro com desenhos de sua autoria.
Este livro é, assim, a materialização dos três mandamentos centrais do manifesto dos USK: desenhar in situ, desenhar em grupo, e partilhar com a comunidade. Ora, os desenhos foram feitos in situ no Porto, na companhia de outros sketchers durante o Encontro Nacional e, por fim, são partilhados com a comunidade através deste livro, não apenas com os outros sketchers, mas também com a comunidade em geral.
Tudo como deve ser. 
Desenhos dos USkP e dos alunos do Jardim-Escola João de Deus
Vem desenhar a minha escola
Por Filomena Moreira da Silva
Gostaríamos de agradecer aos Urban Sketchers em meu nome e em nome do Jardim-Escola João de Deus de Torres Vedras, por toda a sua iniciativa, colaboração, carinho e atenção para com todos os meninos e adultos.
Adoramos conhecer o movimento dos Urban Sketchers, que até à data desconhecíamos que existia. Também desde já agradecemos a disponibilidade de todos os Urban Sketchers, que estiveram presentes neste encontro do dia 31 de Março, para desenhar o Jardim-Escola.
Neste encontro houve uma particularidade, que gostaria de salientar, foi que esteve presente neste dia uma antiga aluna do Jardim-Escola João de Deus da Estrela, a Helena Monteiro, que também faz parte desta grande família João de Deus. Foi muito enriquecedor para nós, e penso que para a Helena também tenha sido! Gostaríamos de salientar, que esta experiência só foi possível, porque um dos alunos da turma do 4º ano, o Duarte Martins é o mais novo Urban Sketcher português, com apenas nove anos de idade e também, devido ao empenho e dedicação da sua mãe, Sofia Gomes, na organização desta atividade, que no fim nos ofereceu um lanche delicioso.
Foi uma tarde muito bem passada, onde as crianças aprenderam a desenhar de diferentes formas e a perceber, que se pode desenhar e pintar de variadíssimas maneiras e que todos os desenhos são bonitos e que têm um toque muito pessoal e especial. Aprenderam assim a respeitar os desenhos dos outros e a conseguir ver em cada um deles a sua beleza.
Foi uma experiência muito gratificante, quer para as crianças quer para mim, que adoro desenhar e pintar.
Aproveitamos para convidar todos os Urban Sketchers a vir ao Jardim-Escola, pelo menos uma vez por ano. Este convite representa uma grande vontade de repetir esta experiência fantástica, por parte dos alunos e dos professores.
Entrevista a Rosário Félix
A Rosário é a associada nº 45 dos USkP e participa nos encontros desde que o movimento existe em Portugal. As suas aguarelas coloridas de comida são uma presença assídua no blogue.
Rosário Félix vista por ela própria e por Manuela Rolão
Há quanto tempo desenhas?
Acho que fui uma criança como as outras, portanto desenhei desde que me conheço e como gostava escolhi um caminho/uma profissão que incluísse o desenho. Nasci numa aldeia perto de Tomar onde estudei até aos 16 anos. Passei pela Escola António Arroio antes de entrar na ESBAL, onde fiz Pintura. Frequentei o curso de desenho com o professor Sá Nogueira na SNBA, que me fez entender o desenho de uma maneira um pouco diferente, porque passei a gostar mais de riscar! Como a técnica que eu escolhi no meu curso foi gravura, procuro ainda hoje ateliers onde o possa fazer, passei por um curto espaço de tempo pelo atelier de Tavira com Bartolomeu Cid dos Santos e agora estou no atelier do Mestre José Faria. Fui professora nos últimos vinte anos da minha carreira na Esc. Sec. de Pedro Nunes e foi aí que encontrei o Eduardo Salavisa e através dele conheci os USk. Neste momento estou a organizar uma vez por mês encontros "Desenhar Campo de Ourique" que tem como objectivo conhecer melhor o bairro.
Há quanto tempo és USk?
Faço parte dos USk Portugal desde 2008. Foi importantíssimo para mim porque passei a desenhar muito mais e a gostar muito de o fazer.
O que mais inspira os teus desenhos?
Gosto de desenhar pessoas e desenhar com pessoas, mas também em minha casa encontro motivos para os meus desenhos, principalmente as comidas que vou fazendo.
O encontro USk mais marcante?
Tenho dificuldade em dizer qual foi o encontro mais marcante, porque há muitos.
Que materiais preferes usar?
Gosto de desenhar em cadernos A5, mas tenho como princípio desenhar nos cadernos que tenho e não deitar nada fora. Uso vários materiais, mas tenho sempre uma caneta e uma caixa de aguarelas. 
Queres colaborar com a Agenda dos Sketchers?
Estamos sempre à procura de histórias de encontros e actividades dos urban sketchers em Portugal. Se gostavas de ver a tua história aqui, pergunta-nos como podes fazer, enviando um email para uskp.regionais@gmail.com.

ACONTECE EM MAIO

Exposições

Angola: Muxima, desenho e texto | Luís Ançã e Luís Mascarenhas Gaivão
De 06-04 a 04-05 | Vagos | Biblioteca Municipal de Vagos
De 13-05 a 20-05 | Oeiras | Galeria Verney
De 22-05 a 10-06 | Aveiro | Livraria da Universidade de Aveiro (a confirmar)
De 01-03 a 28-05 | Arraiolos | Évora Sketchers n'O Tapete está na Rua | Évora Sketchers e Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Os Évora Sketchers expõem desenhos resultantes do seu 38º Encontro no Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos.
De 27-04 a 07-05 | Lisboa | Quinta do Ferro antes da reabilitação | USkP, Amigos da Quinta do Ferro, ANAPAR, Junta de Freguesia de São Vicente
Desenhos resultantes dos encontros na Quinta do Ferro, em Lisboa.

Encontros

De 04-05 a 07-05 | Lisboa | Festival da Máscara Ibérica | Suzana Nobre, FIMI
06-05 | Porto | Jardins da Casa Tait | PoSk
07-05 | Évora | 49º Encontro Évora Sketchers | Évora Sketchers
21-05 | Porto | Praça da Galiza | PoSk
27-05 | Viana do Castelo | Centro Cultural do Alto Minho

Formação

06-05 | Seixal | Diário Gráfico: Do Conceito à Construção e Exploração em Contexto Educativo | Manuela Rolão | APEVT
06-05 | Évora | Little stories - Crafts Museum | Luís Ançã e João Matos | USk 10 years x 10 classes
06-05 | Évora | Medium stories - The city of Alentejo | Joaquim Espadaneira e Eduardo Miranda | USk 10 years x 10 classes
06-05 | Lisboa | Um ano a desenhar para o futuro | Omar Jaramillo | Casa-Atelier Vieira da Silva
06-05 | Lisboa | Alfabeto Lisboeta: museus incomuns | Mário Linhares | RTP
07-05 | Évora | Great stories - Franciscan Steps | Bernardino Mira e Estela Cameirão | USk 10 years x 10 classes
10-05 | Lisboa | Little stories - Personal objects | Mário Linhares e outros | USk 10 years x 10 classes
De 13-05 a 03-06 | Lisboa e Arrábida | Desenhar é Viajar | José Louro | Museu do Oriente e Convento da Arrábida
13-05 | Lisboa | Vamos desenhar com | Teresa Ruivo | Museu Arqueológico do Carmo e USkP
13-05 | Lisboa | Alfabeto Lisboeta: museus incomuns | Mário Linhares | Sociedade de Geografia
14-05 | Bairro Olho de Boi | Lisboa da outra margem | Richard Câmara | Gabinete de Dinamização Associativa
17-05 | Lisboa | Little stories - Museum objects | Nelson Paciência | USk 10 years x 10 classes
20-05 | Elvas | Little stories - Military Museum | Miguel Silva e Vicente Sardinha | USk 10 years x 10 classes
20-05 | Elvas | Medium stories - Forte de Santa Luzia | José Kuski e Rui Baptista | USk 10 years x 10 classes
21-05 | Elvas | Great stories - Ronca de Elvas | João Sequeira e José Barreiros | USk 10 years x 10 classes
24-05 | Lisboa | Little stories - Public realm objects | Pedro Loureiro | USk 10 years x 10 classes
27-05 | Lisboa | Alfabeto Lisboeta: museus incomuns | Ketta Linhares | Museu do Traje

Sem comentários: