Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 22 de janeiro de 2017

Felini, o modelo de 4 patas



Há tempos um gatinho bateu-nos à porta, adotou-nos! Desde então que nos dá algumas dores de cabeça... inicialmente aparecia ferido e magoado até que um dia, além de trazer uma perna partida, chegou a casa em muito mau estado. Depois de muitas aventuras tornou-se pacato e atualmente parece uma bola molengona. Não foi fácil desenhá-lo porque quando parecia quieto...haaa, mudava de posição. Fui esperando, pacientemente, que adotasse a pose anterior.


 (Grafite e lápis de cor)                                                                                                                                                                                        |«in situ»|

8 comentários:

Rosário disse...

Lindíssimos estes gatos!

teresa ruivo disse...

Concordo...

Maria Celeste disse...

...gosto muito...

Eduardo Salavisa disse...

Belos desenhos de gatos. E a etiqueta está correcta Desafio74

Teresa disse...

Gosto muito. Gato é mesmo assim: adoptam-nos, e voltam às mesmas posições de descanso e relaxamento, como só eles sabem...

Ana Crispim disse...

Bons desenhos...

Isabel Alegria disse...

Sendo desenhos de um gato, são também desenhos sobre o espaço da casa, com os seus cheiros, texturas, e a reconfortante sensação do que nos é familiar... tudo aquilo de que um gato gosta, e que o faz até abandonar uma vida de aventura... :-)
E um gato afinal também é o cenário com que se funde, de que faz parte.
Gosto muito!

Celeste Vaz Ferreira disse...

Acabei de descobrir este desenho. Gosto muito do traço e da composição.