Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 2 de outubro de 2016

à espera do barco no cais do sodré


Depois das cerca de 3 horas de viagem de comboio do Porto para Lisboa, estive 1 hora à espera do barco para o Seixal, no Cais do Sodré. Resolvi desenhar as pessoas que iam chegando. Reparei que todas estavam com o telemóvel na mão. Todas excepto um senhor que via uma revista.

4 comentários:

Henrique Vogado disse...

Ainda me queixo das horas dos barcos do Barreiro... Pelo menos deu tempo para desenhar com vagar. E o tempo passa mais rápido.
É mesmo assim nas estações, seja metro ou barco, saca tudo do telemóvel e um estranho pega num caderno. ;-)
Gosto muito, Cláudia!

Teresa disse...

Gosto do desenho e do texto. A proporção de pessoas que não utiliza o telemóvel nessas circusntâncias diminui cada vez mais. Mas quando veja UMA pessoa que não está com o telemóvel penso : ainda há esperança ;)

Jrosa disse...

Adoro! Está um desenho maravilhoso e um apontamento sobre tristes realidades - a péssima qualidade dos transportes públicos e o vício dos telelés.

Filipe Pinto disse...

É impressão minha ou os teus desenhos estão a ficar mais "soltos"? E melhores claro!