Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 24 de setembro de 2017

NO CONVENTO DO BEATO, 20SET17

 1.  Imagens do exterior, desde a rua, enquanto eu aguardava a abertura do local, posto que tinha chegado muito cedo.no convento.

 



2. De seguida, três aspetos do interior  do convento.





Galiza_I





Nas catacumbas de Paris...

Desenhado a lápis "lá dentro" e a pouca cor foi posta depois. O caderno é da marca Khadi, rústico, feito de T-shirts usadas. A parte que se pode visitar, é hoje uma curiosidade para adolescentes que não impressiona ninguém, não é tão chocante (para nós, europeus) como o Ganges.



NO MUSEU DO TRAJE_23SET17

Visita ao Museu no Dia do Património dos USKP.

Estes registos serviram para comemorar as Jornadas Europeias do Património 2017 | Património e Natureza - 22, 23 e 24 de setembro. 


A seguir, Vestuário do Estilo Império- 1796-1820.



Em baixo. duas imagens de acessórios utilizados na época -  Leque -1804.1815; Luvas -1790: Tiara-1790 - 1810.

Curiosamente, adquiri no Museu um produto cultivado nos terrenos e que me custou apenas 1€...

                                   Riscar o património 2017

                           Jardim Botânico do Monteiro-Mor e Museu do Traje


                                                                       Flor de Natal

O meu olhar 


                                                                          Museu do Traje





                         Desenhar com Helena Monteiro




                                              Pelo olhar de um extraterrestre




(a)Riscar o Património em Torres Vedras

A manhã foi dedicada à Quinta da Folgorosa, onde os  43 participantes foram recebidos de forma calorosa pelo engº José Melícias. Depois do enquadramento histórico sobre a quinta e o território onde se encontra implantada, seguiram-se os desenhos. Antes da habitual partilha de desenhos, os participantes foram recebidos pelo Vereador Bruno Ferreira e pelo Presidente da União de Freguesias Dois Portos e Runa, João Tomás, que destacaram a importância deste projecto na promoção e valorização do património cultural de Torres Vedras, aproveitando também, para agradecer a participação de todos. Antes da despedida, deu-se a prova de vinhos produzidos pela Quinta da Folgorosa.
 

Depois de um excelente almoço no Centro de Dia da Buligueira, os participantes seguiram rumo ao Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, uma peça arquitectónica de uma beleza única e em simbiose com a paisagem natural. No topo, os observadores são surpreendidos pela beleza de uma vista panorâmica repleta de vinhas e serras, das quais se destacam Socorro e Montejunto. Depois da difícil escolha do enquadramento ideal, segue-se uma tarde repleta de desenhos e de momentos de partilha. Antes da despedida, os desenhadores foram surpreendidos com um magnífico lanche composto por bolos tradicionais confecionados pela Comissão de Festas do Santuário dos Milagres. Pelo sucesso da iniciativa, arriscamo-nos a dizer "até para o ano". Obrigado a todos os participantes que nestes 4 anos de (a)riscar, têm escolhido Torres Vedras para desenhar, mas sobretudo para usufruir o que temos para oferecer.
 
Como em tudo, o sucesso não é obra do acaso, mas sim do trabalho e por essa razão, fica um agradecimento a todos os parceiros operacionais, à Quinta da Folgorosa, à pessoa do engº José Melícias, pela experiência vinícola, à Associação de Socorros da Buligueira, pelo almoço, à União de Freguesias de Dois Portos e Runa (João Tomás e Ana Brandão) que estiveram com os participantes desde o primeiro, ao último momento do evento.
 
 
 
reportagem completa em: https://www.facebook.com/events/116220335757522/?active_tab=discussion

Vinhas, Vinhos e Miradouro

Sem dúvida, um dos melhores encontros de desenho de sempre.
Depois do reencontro em Torres Vedras, fomos à freguesia de Dois Portos desenhar, começou numa alongada breve introdução sobre a Quinta da Folgorosa, o Eng. José Miranda falou sobre a recuperação da Quinta sustentada na produção de vinho de qualidade e notou-se a sua paixão pela história daquelas terras e pela sabedoria da produção de vinho, o qual se mostrava no perfume que emanava da adega.
Como ninguém teve coragem de descalçar as botas e pisar uvas, fomos desenhar pelos terrenos da quinta, no jardim, nas vinhas, nos sofás da piscina, na adega ou no topo da aldeia onde havia um moinho abandonado.
O meu primeiro desenho foi durante a introdução à quinta, uma salganhada de materiais para aquecer...

Depois fui desenhar vinhas, mas como o tempo era pouco e a atmosfera estava tão agradável, peguei na paleta quente e dediquei-me a desenhar o mestre António Bártolo a pintar, segurava vários pincéis na mão e a cabeça estava constantemente indecisa entre a paisagem e o papel...

À tarde fomos desenhar o Santuário Nossa Senhora dos Milagres, a igreja tinha uma fachada cheia de arcadas interessantes, no interior, o azulejo era também surpreendente, mas como nunca acreditei em milagres dediquei-me ao casario das traseiras, parecia ter detalhes a precisar de atenção, os muros do miradouro marcavam umas belas linhas limite e destacavam a paisagem, havia também uma árvore morta espinhosa repleta de pormenor a precisar de companhia...
 No fim do dia aventurei-me na paisagem, mas como eu não dispenso uma boa conversa, acabei por deixar a pintura de azul para mais tarde...
Antes de terminar, não podia deixar de mostrar um pouco do ambiente ao final da tarde... de fazer inveja, não?


Desafio 81 | Mecanismo - Como ligar 2 TVs à tv por cabo sem box


Este fim de semana pensei na possibilidade de desenhar um mecanismo para o Desafio USkP 81, mas nada me ocorria. Até que hoje, durante uma viagem de carro, sem muito que fazer durante 3 horas - não era a condutora! - me lembrei de vos explicar como liguei as minhas duas TVs (uma delas com mais de 25 anos) à tv por cabo, mas sem box. Não sinto necessidade de ter mais essa despesa extra.
Espero que me consiga fazer explicar... 

Alguém me sabe dizer o nome daquele aparelho à esquerda que faz a ponte entre as TVs e o cabo amarelo que vem da caixa branca (acho que transforma o sinal que vem da rua por um cabo branco fino)? Aquilo não é a coisa chamada "box".


No Jardim Fernando Pessa

Esta é uma das minhas estátuas preferidas em Lisboa. No entanto ainda não consegui descortinar se se trata de um pai a ensinar o filho a andar de bicicleta ou um daqueles "estranhos" sobre os quais as nossas mães nos avisavam para nunca aceitar doces que está a aliciar a pobre criança.



Convento do Beato, Lisboa Oriental

Convento do Beato (claustros), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 20 setembro 2017.

Convento do Beato (foyer, pormenor), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 20 setembro 2017.

Convento do Beato (refeitório, pormenor desenhos azulejos), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 20 set. 2017.

Vila Maria Luísa, Lisboa Oriental


Vila Maria Luísa ("EKA Palace", antigo palacete D. Gastão), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 9 set. 2017.

Vila Maria Luísa (n.º 26), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 9 setembro 2017.

Vila Maria Luísa (fachada com cadeiras), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 9 setembro 2017.

Vila Maria Luísa, Lisboa Oriental

Vila Maria Luísa (n.º 33), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

Vila Maria Luísa (escola-jardim infantil, pormenor superior ), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

Armazéns Abel Pereira da Fonseca, Lisboa Oriental

Armazéns Abel Pereira da Fonseca (tardoz), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

Armazéns Abel Pereira da Fonseca (fachada principal), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 9 setembro 2017.

Vila Dias, Lisboa Oriental

 Vila Dias (rua de antenas parabólicas), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

 Vila Dias (beco com vista para linha do comboio), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

 Vila Dias (casa azuis), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

 Vila Dias (janela com antenas), Lisboa Oriental, esferográfica preta e aguarela, 7 agosto 2017.

Panorâmica, Lisboa Oriental

Vista sobre o rio Tejo, a partir do alto da Vila Dias, Lisboa Oriental, lápis azul e aguarela, 7 agosto 2017.

(A)Riscar o Património no Castelo de Almourol

Estes foram os desenhos que fiz no encontro deste ano do (A)Riscar o Património, no Castelo de Almourol.