Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 25 de março de 2020

Web oficina "Quarentena é tempo de reflexão"


Estes tempos de quarentena são tempos de REFLEXÃO, de olharmos para nós próprios. Por isso proponho-vos arriscarmos o auto-retrato.

E, confesso-vos desde já, nunca tinha feito o meu auto-retrato (se excluir um que tentei em jovem com pastel, mas nunca acabei). Mas essa pode bem ser uma das motivações destas oficinas, atirarmo-nos ao que nos é pouco familiar, desafiarmo-nos, experimentarmos e, quem sabe, descobrirmos uma via que nos poderá apetecer levar mais longe.

E o desafio é trabalhar só com mancha! Hoje as linhas ficam a descansar. As linhas são muitas vezes limitadoras, demasiado definitivas. Quando falhamos, ficam lá a lembrar-nos o nosso erro. A mancha, pelo contrário, pode começar por sugerir apenas, possibilitando corrigir, afinar, na próxima pincelada.
Para esta oficina peguem nas vossas aguarelas, escolham uns bons pincéis (evitem se puderem o pincel de água), um maior para as manchas e um fino para os detalhes.

Quanto a cores para o tom de pele sugiro o Vermelho Veneza (Venetian Red da Sennelier), mais diluído para o tom geral, com mais pigmento para as áreas sombreadas. Em alternativa há quem use um vermelho (Carmim de Alizarina/Aliz Crimson Lake de Sennelier) e um amarelo (Amarelo Limão/Lemon Yellow da Sennelier).

                               Vermelho Veneza               Amarelo Limão / Carmesim de Alizarina
                    
                       

Para esta oficina vale a pena ter presente as noções básicas das proporções da cabeça humana, de modo a evitarmos aquela pincelada menos pensada de que nos arrependemos de imediato. Ter a noção de como podemos dividir a cabeça humana, o alinhamento dos olhos com o topo das orelhas, da base destas com a ponta do nariz, a relação dos olhos com os limites dos lábios. Se quiserem podem ver um vídeo com uma explicação mais detalhada (CLICAR).


Importa igualmente ter uma ideia dos traços básicos dos elementos da nossa cara:

- OS OLHOS
(atenção aos diferentes contornos superior e inferior – e procurar colocar o ponto branco do brilho)

- O NARIZ
(que às vezes basta representar apenas a sua base, através da sua sombra)
- A BOCA
(além do contorno dos lábios, atenção à linha que separa o superior do inferior – a boca pode ser representada apenas pelo lábio superior, sempre mais escuro, e pela sombra que o inferior cria no queixo)
 
      

Se forem desenhar para a casa de banho, procurem não estar debaixo da luz para evitar sombras muito marcadas. Tentem afastar-se para que a luz não vos incida na vertical. Outra alternativa é utilizarem um espelho de mesa e instalarem-se de modo a receber a luz pelo lado.

Ter presente que, na aguarela, devemos começar dos tons mais claros para os mais escuros. E atenção: aproveitar a mancha ainda húmida se queremos que as cores da nova fase se misturem com a anterior, ou deixar secar entre as várias fases, se pretendemos manchas bem definidas, com detalhe.

FASE 1 - Após se observarem com atenção durante algum tempo, apreendendo as características especificas da vossa cabeça, comecem com o pincel maior por uma mancha de cor bem diluída a representar a forma geral do rosto. Reservem áreas em branco nas zonas mais iluminadas, normalmente a “face” superior das maçãs do rosto (lembrem-se do famoso “triângulo de Rembrant, que marca essa zona).
   
FASE 2 - De seguida, ainda com o pincel maior mas com um pouco mais de pigmento, procurem em gestos soltos representar as zonas de maior sombra – as cavidades oculares, a base do nariz e talvez um dos lados da cana, o lábio superior, a sombra do lábio inferior e a base do queixo.

                                           FASE 1                                                         FASE 2
             
                  
As manchas obtidas, mesmo que não perfeitas, permitem visualizar o pretendido e podem ser corrigidas, aperfeiçoadas na próxima fase.

FASE 3 - Para finalizar, com o pincel de detalhes e o tom mais escuro, definir os olhos, as narinas, o cabelo e (no meu caso) a barba. Ter o cuidado de reservar algumas zonas do cabelo para transmitir o seu brilho, e igualmente nos olhos para conseguir o brilho da pupila.

                                         FASE 3                                                     FASE 4
  
                  
- FASE 4 - Para terminar acrescentem os detalhes finais (óculos, recorte do camisola, definir os lábios, algumas sombras adicionais, etc.

Concluam com umas manchas mais aleatórias para enquadrar (roupa, contexto) humedecendo primeiro com água e só depois aplicar a cor em pinceladas rápidas.

Atentem no zoom seguinte a importância de definir bem a boca, com o lábio superior mais escuro e a sombra projectada pelo lábio inferior. No final, quem quiser pode recorrer à caneta branca e acrescentar uns cabelos teimosos, o brilho na pupila ou uns tracinhos no lábio inferior, que é o que brilha.



Bons retratos!! Percam o medo e deixem-se surpreender pelas manchas de aguarela.
E não se esqueçam das etiquetas #quarentenadesenhada e #weboficinas.

12 comentários:

Manuela Rolão disse...

Espetacular!
Estive a ler tudinho! Obrigada!
Aasim que puder, mãos à obra!

Teresa Ruivo disse...

Obrigada Luis, maravilha!! Quando acabar os “to do”’s também me vou pôr ao espelho!

Rosário disse...

Boas dicas! Obrigada!

Fernanda Lamelas disse...

Obrigada!! Bora lá autoretratrarmo-nos!

Ana Conceição disse...

Gosto! daqui a nada já me vou olhar com olhos de ver!

Cesar disse...

Muito bem, já me convenceste, vou fazer depois do almoço.

António Procópio disse...

Vamos a isso!

Rita Catita disse...

Brutal Luís!!! Obrigada!

Pedro Loureiro disse...

Impec Luís! Com lições destas, vale a pena! :D
Já comecei o meu. Fase de secagem.

Ana Maria Clemente disse...

Obrigada. muito útil com boas dicas. Vou tentar.

Helena disse...

Aprendi imenso...a dificuldade foi pôr em prática ...
diverti-me imenso a fazer o boneco.

Obrigada pela vossa iniciativa
Helena

Leonor Lourenço disse...

Boa! Estás bem parecido. Sempre bom aprender mais. Abraço.