Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Alvos fáceis

O urban sketcher, sobretudo quando desenha gente, é de certa forma um snipper sketcher, no sentido em que quando avista um cidadão mais relaxado e desatento... tau, espeta-lhe com um olhar penetrante. E os pobres diabos, sem talvez nunca virem a saber, andam por aí nos cadernos de desconhecidos.

Aqui ficam dois alvos fáceis, uma senhora aborrecida e cansada da espera no Centro de Saúde de Alvalade, e um senhor que calmamente lia o seu jornal no quiosque na Praça de Londres. Assim que os vi e percebi que eram gente num estado pouco dado a movimentações, tau!



5 comentários:

Eduardo Salavisa disse...

Tau! Tau! Desenhos certeiros. Boa analogia.

teresa ruivo disse...

Ah ah! É mesmo assim. De vez em quando, no fim, gosto de mostrar às pessoas. Mas nem sempre, claro...depende de se têm um olhar fulminante ou amigável :)
Belos desenhos!

Henrique Vogado disse...

Bons desenhos. Tau!

hfm disse...

Óptimos.

Pedro disse...

Grande descrição. Tal como os desenhos.