Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Marcos históricos e desenhadores


Uma das regalias de viajar com amigos desenhadores é que estamos constantemente a nos desafiarmos a desenhar maior, melhor e mais rápido!



À medida que passavamos pelos incríveis marcos de Roma, prometiamos passar o mínimo tempo possível a desenhá-los, de forma a cobrir mais território e não antagonizar os nossos companheiros de viagem não-desenhadores. O resultado foi que cada um desses desenhos tornou-se num exercício de algum aspecto específico de luz, composição e escala.



Assim, a Scalinata di Trinità dei Monti (conhecida como a Praça de Espanha) tournou-se num estudo rápido de sombras, a Piazza Navonna num exercício de desvanecimento de detalhe, e a Fontana di Trevi um jogo de escala e proporção.

5 comentários:

João Santos disse...

Muito bons! Gosto sobretudo da perspectiva que escolheste para a Fontana di Trevi.

Fefa disse...

Belos sketches!
Quantos minutos demorou cada um??

Maria Leonor Janeiro disse...

Gosto muito
Leonor Janeiro

Pedro Loureiro disse...

Obrigado a todos :)
Fefa: foram uns 20 minutos no máximo para cada (excepto talvez para o céu da Fontana di Trevi que foi feito depois)

Membro USK disse...

20 minutos! Q aceleração...mas com tanto treino e arte e também tanto motivo para desenhar em Roma, só podia ser assim :-)

Fefa