Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Conferencias e Copos na BM

Na Broadway Malyan, local onde trabalho (juntamente com o meu colega de Graphics e USkP Pedro Loureiro), de vez em quando temos visitas de outros escritórios que nos dão a conhecer alguma da sua "expertise" e que normalmente são úteis aos projectos que estamos a desenvolver. Foi o caso da Daniela Viloria do gabinete de Madrid que nos falou da importância da iluminação num projecto.


Claro que, no final do dia de trabalho e ainda mais somos portugueses numa empresa britânica, tínhamos de oferecer aos nossos convidados o melhor de dois mundos, o calor e convívio lusitano aliado à cerveja (em grande quantidade) em espaço típico londrino... tirando talvez as abóbadas claro...

5 comentários:

João Santos disse...

Que desenhaços!

Maria Leonor Janeiro disse...

Desenhos muito calorosos.
Leonor Janeiro

Marcelo de Deus disse...

Eu diria então que é o melhor de três mundos, pois que desses dois nasce esta coisa a que se convencionou chamar...falta-me o nome...ah, sim... Arte, com um A bem maiúsculo!

Pedro disse...

Se a festa foi como os desenhos... Foi de arromba!

Eduardo Salavisa disse...

E tu mostraste a importância da iluminação no desenho. Fabulosos.