Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Desenho (quase) cego


Sentei-me numa esplanada na Rua da Vitória para almoçar, com vista para um largo bem interessante no cruzamento dessa rua com a Rua da Prata e eis que quando começo a desenhar, o chapéu de sol tapava-me a vista quase por completo... Ainda me desviei um pouco para ver o que podia, mas sem grande efeito. Só via os pisos térreos e pouco mais, portanto restou-me desenhar de memória... Alturas, números de pisos e número de vãos, esqueçam lá isso... :D

Voltei a comprar um bloco da Mitos com uma folha execrável para aguarela, como tal uso agora a minha Art Pen da Rotring (desliza tão bem nestas folhas!) e marcadores Faber Castell Artist Pitt.

4 comentários:

Pedro Loureiro disse...

Super!

hfm disse...

Belíssimo desenho.

USkP Convidado disse...

maravilha de cegueira essa!!!

Maria Celeste disse...

...gosto muito e obrigada pelos conselhos técnicos...