Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

domingo, 28 de dezembro de 2014

Do Equinócio ao Solstício - o meu primeiro caderno

Aqui está o meu primeiro diário gráfico, começado no dia do equinócio do Outono e terminado no solstício do Inverno. Foi uma estação inteira a desenhar com regularidade, coisa que nunca tinha feito. Usei um "artist's journal" da Winsor & Newton que tinha em casa há vários anos. Desenhei sempre primeiro a lápis, fixando depois a linha (com uma caneta Pigma Micron ou de outra marca), para colorir com aguarelas no fim. Uns desenhos resultaram melhor do que outros, continuo a debater-me as dificuldades que as aguarelas apresentam, mas penso que a evolução é visível. Apesar de já ter partilhado os desenhos individualmente, é por isso que partilho agora, neste formato, o caderno na íntegra, para se poder ver em perpectiva. Obrigado a quem me tem ajudado nesta aventura, sobretudo ao José Louro e ao Mário Linhares nas sessões do Alfabeto Lisboeta.

7 comentários:

Maria Celeste disse...

...o primeiro de uma numerosa e bela série...
...agora é só continuar...

Rui Grilo disse...

Obrigado Maria Celeste! O segundo caderno já tem 2 desenhos... ;)

João Santos disse...

Um primeiro caderno fantástico, parabéns!

José Louro disse...

Parabéns tb pla forma como apresentas a caderno aqui no blogue. Muito bom.

Miú disse...

Gostei muito!
Os meus preferidos (se me é permitido dizer) são o do aeroporto, o da sala de estar do hotel e... o primeiro, a abrir o caderno!
Parabéns.

Alexandra Baptista disse...

e apetece ficar com ele!!!

Becerra disse...

Excelente trabalho!