Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 17 de junho de 2009

A minha Avó


Esta é a minha Avó. Costumávamos chamar de Avó Antó (nia). Mas agora é só Avó.
Diz que quando nasceu
havia muito sol da terra.

Outrora foi Líder das mulheres timorenses durante a guerra.
Foi Curandeira e conhecia todas as plantas da montanha de Baucau.

Desde Agosto de 86 que o medo pela novidade, o receio em sair de casa e a saudade da terra fez com que perdesse os conhecimentos sobre a medicina tradicional...

Neste Agosto regressará às origens.
Ultimamente a
Ansiedade tem sido a sua companheira de todas as noites.

6 comentários:

Monica Cid disse...

Doce reflexão e partilha, Ketta.
Espero que o regresso às origens a torne mais tranquila. E que bom seria se se lembrasse e talvez até, porque não, se se ocupasse de escrever e partilhar o conhecimento que tem sobre as plantas e os seus benefícios! :) Espero corra tudo bem!

Ketta disse...

Obrigada, Mónica

Confesso que também ando ansiosa por conhecer esta "faceta" da minha Avó. Já a estou a imaginar a esfregar as mãos num arbusto, a cheirar as plantas, a mandar alguém colher uma erva especial...

PeF disse...

Bonito registo gráfico e escrito da tua Avó.

Espero que o regresso valha bem a ansiedade de todos estes dias.

(e num registo mais diário gráfico, que todas essas plantas medicinais acabem desenhadas e anotadas)

Ketta disse...

Olá, PeF

Acho que se não fizer pelo menos um desenho por dia enquanto lá estiver, seria uma falha imperdoável... já quando não o faço cá começo a ficar com comichões nas mãos...

Quanto aos desenhos das plantas medicinais... bem, tentarei o meu melhor embora nunca me tenha envergado pelo lado do registo científico...

Abraços

Rosa Baptista disse...

Muito bonitos os desenhos e a composição com o texto. Faz-me lembrar uma mulher forte, digna, nobre, sábia, mesmo sem ler o teu texto, só com a imagem do DG.
Gosto muito quando escreves:
"Diz que quando nasceu havia muito sol da terra."
...um começo de um romance?
...um mundo que mudou muito?
...uma vida muito preenchida?
...um lugar encantado...
é saudosa essa afirmação...

Ketta disse...

Olá Rosa

Existem duas características que sobressaem na minha Avó. Uma é a Nobreza e a outra é a Teimosia.

De facto ela tem muitas histórias para contar (que verbalmente se torna difícil de entender visto que ela fala apenas duas línguas - o dialecto da terra dela e o tétun) mas que só estando na sua "verdadeira casa" será possível de a Compreender.

Abraços