Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quinta-feira, 28 de março de 2019

Costa Rica

São José é uma cidade simples, rodeada por montanhas: tem poucos prédios altos, não tem metro e só tem uma linha de comboio a funcionar, os autocarros parecem saídos dos anos 50, tem imensas árvores e plantas, o trânsito é caótico em hora de ponta e as pessoas com quem conversámos são super simpáticas, mas as que trabalham nas lojas nem por isso...


O desenho não era para ser assim. Comecei com as aguarelas, mas o Matias estava muito cansado e por isso tive de fechar o caderno. Mais tarde, enquanto a criança fazia a sesta da tarde, resolvi usar a caneta preta. As árvores ao fundo servirem de inspiração para o desenho seguinte.


Uma vez colocada a mancha, é sempre mais fácil começar a desenhar! Já não é uma dupla página em branco, por isso o desenho flui facilmente!

4 comentários:

Fernanda Lamelas disse...

Lindos!

Armando Baldaia disse...

Muito bonitos!

Anónimo disse...

Gosto muito. Lindíssimos. (João Coutinho)

teresa ruivo disse...

Com mancha ou sem mancha, um traço sempre maravilhoso!