Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Simpósio do Porto I

Cheguei ao Porto já bem mais tarde que o previsto mas ainda a tempo de saborear tudo e mais alguma coisa do que estava para vir. Depois do check in na Alfândega e de ver que o meu local para a Demo ficava no topo de uma subida tramada, fui testar o local compatível mais plano possível. 


...e ficámos as 17h em ponto no Jardim da Praça do Infante, junto ao mercado onde iria explicar em que consistia o meu workshop "Frame your Sketch" usando apenas duas ou três cores. À medida que desenhava, explicava tudo e mais alguma coisa para quem me assistia, desde os materiais que uso, os erros que dei neste desenho, como conviver com eles e acima de tudo, como eu me divirto enquanto desenho. Aproveito para deixar um abraço ao Tomás que assistiu à minha demo e fez um belíssimo desenho enquanto eu falava pelos cotovelos, vejam AQUI
A demo que deveria ser de uma hora, demorou duas porque eu não me calava e as pessoas foram ficando numa espécie de tertúlia improvisada na hora sobre a melhor coisa do mundo: desenhar! Já na Ribeira, depois de ver o máximo número possível de amigos sketchers, sentei-me na esplanada onde estavam os "vadios", os nossos amigos desenhadores que também não falham o Encontro de Torres Vedras por nada. Enquanto os "finos" iam surgindo na mesa como que por magia, íamos desenhando qualquer coisa e este por do Sol sobre Gaia era fantástico para o efeito... 


 Várias cervejas e tostas mistas depois, orientámos num instante um encontro de desenho nocturno, em torno do Rio Douro e uma ponte muito mal iluminada para meu desprazer... Ainda assim, adorei todo o entorno da Serra do Pilar e aquele batel que atracou perto de nós com dois potentes holofotes que reflectiam na água negra cheia de personalidade. Mais cerveja menos cerveja, foi tempo de ir dormir... O dia seguinte iria ser repleto de workshops para dar...

4 comentários:

Isa Silva disse...

o que dizer dos teus desenhos? (suspiro) Um espectáculo!! :-)

Marcelo de Deus disse...

não sei onde guardas os cadernos, mas sei que mais dia menos dia vais ser assaltado.

Suzana disse...

Giros, giros!

teresa ruivo disse...

É o costume! Já não se pode dizer nada de novo :)