Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 20 de junho de 2018

O Arraial e as Gulodices - Reportagem Stº Cristo 2018 [9 de maio]






Fiz o primeiro registo ao som dos «Filhos da Terra» da Ribeira Chã. Notou-se um decréscimo no número de pessoas a assistir, sinal de que as festas se aproximam do fim.


No coreto, registei alguns sketchers que estavam comigo a desenhar: António Cabral, Helena Monteiro, José Artur, Sandra Medeiros e Tatiana Sousa. A sobreposição dos elementos compositivos pretende conferir uma dimensão temporal ao registo.

E claro, que tivemos de fazer parte da brincadeira... os matraquilhos e os carrinhos de choque. Os aviões «matam-me», mas o meu filhote adora estas coisas e no fim é sempre divertido.




(Caneta caligráfica, lápis de cor, aguarela, marcador e grafite)                                                  «in situ»

3 comentários:

Isa Silva disse...

Bela reportagem :-)

hfm disse...

Isto é que foi desenhar. E que entusiasmo havia. Gosto tanto destes registos.

Celeste Vaz Ferreira disse...

Bellissima reportagem querida Alexandra!