Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Desenhar como a Rita Catita

No passado sábado, foi dia de desenhar comigo no Museu Arqueológico do Carmo. Numa sala cheia de amigos, uns mais sketchers que outros, foi de coração que partilhei a minha relação com o desenho em cadernos.

Desenho: Nelson Paciência

Convidei a audiência a embarcar numa viagem que não é só minha. Todos os que encontrei nestes últimos anos, desde que descobri os desenhos, têm sido óptimos companheiros de jornada. Quem se deslocou ao Carmo para  ‘Desenhar Com a Rita’, foi desafiado a ‘Desenhar Como a Rita’:

1. O caderno é um diário de viagem

2. Durante o desenho vou
- estar atento
- descobrir uma história sobre o sítio
- saber mais sobre as pessoas que aqui vivem/trabalham/passeiam
- perceber que eu sinto sobre o que estou a descobrir

3. Escrever um texto que acompanha o desenho  utilizando metáforas, duplos sentidos, humor, caricatura...


Foto: Bruno Vieira

Os resultados foram fabulosos. Lisboa é, sem dúvida, fonte de inspiração, reflexão e memórias. Este dia será sempre recordado como um dos mais felizes da minha vida.
Obrigada a todos, não tem graça nenhuma ser feliz sozinha.