Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 12 de março de 2018

A Espessura do Tempo – património e paisagem

Numa iniciativa da Câmara Municipal de Castelo Branco, em três encontros e durante seis dias, durante o mês de janeiro e fevereiro, 22 desenhadores e ilustradores percorreram todo o concelho de Castelo Branco.

A Espessura do Tempo – património e paisagem, é uma exposição de ilustração que resulta do trabalho de desenhadores profissionais e amadores, que trabalharam alguns elementos patrimoniais e paisagísticos do concelho afirmando a dinâmica da ilustração, sketching e desenho, como meio artístico de registo e comunicação da vivência do território.
Muitas histórias, muitos desenhos e a percepção da enorme riqueza paisagística, patrimonial e humana do concelho de Castelo Branco.
Estes desenhos, aqui publicados, de Aires Melo, Alexandra Belo, Ana Isabel Belo, André Duarte Baptista, Brígida Ribeiros, Carlos Matos, Cristina Serra, Fernando Micaelo, João Rui Calais Frade, João Catarino, João Esteves, João Gama, Jorge Portugal, José Manuel Boeiro, José Preto, Margarida Ataíde, Pedro MB Cabral, Rui Tavares, Teresa Vidal e Vitor Mingacho, 
são apenas uma pequena mostra, das duas centenas de desenhos que podem ser vistos no Museu Francisco Tavares Proença Júnior de Castelo Branco.
Bem haja a todos!
Carlos Matos





















1 comentário:

André Duarte Baptista disse...

Parabéns pelo projeto e pela forma impecável como nos recebeste Carlos. Obrigado pela oportunidade única. um abraço