Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 4 de julho de 2017

10x10 no Mercado da Ribeira

Tema 8: Conversas estranhas por pessoas normais
Nélson Paciência

A partir das 18.00h o Mercado transforma-se. A preferência pelas frutas e flores dão lugar aos copos de vinho, ao chouriço e ao salame, juntando a banda que "dá música" enquanto turistas se deliciam nos "comes e bebes". Esta foi das sessões em que mais me diverti a desenhar pessoas!


Simplificar a figura humana, desenhando ao estilo do Nélson: colocar no caderno apenas o corpo humano visível (rosto e pescoço; braços e mãos) e excluir a roupa. "Desenhem bem perto das pessoas para poderem captar a linguagem que o corpo vos transmite e não desenhem pessoas a comerem, pois essas estão sempre a mudar de expressão". Boas dicas que nos facilitou no desenho.


A linguagem corporal simplificada no contexto. "Tentem estar muito perto das pessoas para as desenharem e escutar as conversas que elas têm. Desenhem o que está em cima da mesa, pois estamos num mercado e não numa igreja. Contextualizem o ambiente com desenhos simples e escrevam." 
Pois então, eu sentei-me mesmo ao lado de um grupo de irlandeses. Estava tão perto que acabei por beber umas cervejas e fazer parte da conversa, deixando o desenho por terminar. Depois da sessão, voltei ao convívio e só consegui desenhar 3 deles... O quarto ficou debaixo da mancha verde... não parava quieto...

1 comentário:

nelson paciencia disse...

Fico tão contente que te tenhas divertido. E eu também bebi duas cervejas e comi umas taliscas de queijo dos irlandeses, eram bem divertidos.
Óptimo post!