Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Casas sem ruas

Aqui deixo um desenho feito num sítio incrível onde o tempo parou de contar. Chama-se Branda da Aveleira. Aos poucos, as poucas casas deste lugarejo, algures em Melgaço, longe de tudo, parecem estar a ser recuperadas; todas para turismo, pois que ali não há quem viva. Recomendo vivamente uma casinha destas para um fim de semana. Este estava cheio de neve, mas no verão também será bem agradável. De dentro do carro, com as mãos frias comecei um desenho que aprimorei em casa com recurso batoteiro à fotografia.

2 comentários:

Manuel Tavares disse...

Gosto muito. Da sucessão de planos, do espaço de respiração entre elementos, e da integração do texto com o sketch.

teresa ruivo disse...

Quem me dera! que bem resolvida esta neve!