Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

letras...




Tenho tido muito poucas oportunidades para desenhar... nos testes de GD A desforro-me!!
Usei a Yuzin como suporte e é curioso porque em determinadas situações o texto de fundo pode ajudar à contextualização do registo. Intervir sobre colagem ou texto levanta problemas de tensão e protagonismo e obriga a uma ação menos «leviana» e mais cuidada. Julgo que não basta destribuir elementos aleatoriamente sobre o campo visual. Quando escolho a página ao acaso tenho o cuidado de destruir, atenuar ou desconstruir o texto para que funcione como textura e não como algo que segue a sua função. Neste caso, não me preocupei com o sentido da mancha de texto, tentei apenas que tivesse menor peso visual e permitisse uma integração cumplice do desenho... e sinto que podia ter feito melhor!

 (caneta caligráfica, marcador acrílico e caneta de feltro)                                                                                                              |mais aqui: «in situ»|


1 comentário:

Henrique Vogado disse...

Gostei da dica para desenhar sobre texto. O desenho ficou bem bom.