Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Simpósio USk Manchester 2016_Dia 0

Hoje foi o dia de engrossar o contigente português ao 7º Simpósio USk em Manchester. Para se juntarem ao ponta-de-lança Pedro Loureiro, desde sábado a pisar solo britânico, seguiram do aeroporto da capital portuguesa os sketchers Nelson Paciência, Vicente Sardinha, Rosário Félix, Helena Monteiro e Maria José, além do autor destas linhas.


Chegados a Manchester, e depois de depositados os haveres de cada um nos respectivos alojamentos, a secção masculina foi estabelecer contacto com alguns sketchers internacionais, que se entretinham a apreciar as bebidas locais, vulgo "beer".


Antes da noite chegar, os nossos homens cederam às necessidades corporais e abandonaram o referido convívio à procura de mantimentos. Uma casa tradicional manchesteriana (ou seja, com música a bumbar alto por 2 senhoras dj´S) forneceu as doses necessárias de carne picada num misto tipico local: burger+beer.


Amanhã, quarta-feira, dar-se-á início ao evento com o registo dos participantes e cerimónia de recepção na Town Hall (trad.: autarquia local).

A caminho do Simpósio USk #4

Simpósio USk em Manchester dia -1

Pórticos de Chinatowns! Todas as grandes cidades deveriam ter os seus pórticos de Chinatown. Porquê? Porque são do camandro, aí têm o porquê! Manchester não é excepção a esta regra que acabei de inventar.


Têm estado a haver uma série de actividades e encontros pré-Simpósio, e finalmente pude ir a uma delas. Depois das visitas às lojas de banda desenhada da praxe, encontrei o Mateusz Hajnysz dos Urban Sketchers Polónia, num café local. O primeiro de muitos desenhadores com quem iria confraternizar nessa tarde. Desenhámos juntos até chover. Depois desenhámos um pouco mais. O nosso grupo de desenhadores cruzou-se com outro grupo, e eu decidi apanhar boleia destes. Este novo grupo era liderado pelo Phil Griffin, um escritor e geek Mancuriano (pesquisem). Ele guiou o grupo com a paixão própria de quem conhece tudo sobre a sua cidade. Mais tarde no Peveril at the Peak, partilhou as suas ideias sobre o papel de Manchester na história mundial, enquanto apresentava o seu livro cheio de ensaios e histórias relacionadas com a cidade.


A cerveja boa começava a fluir mesmo quando o contingente Português desembarcava no aeroporto de Manchester. Houve tempo de os encontrar na estação de Oxford Road, reagrupar no hotel, e ainda voltar para o Peveril of the Peak para confraternizar com o resto dos desenhadores. O resto da noite foi nosso para partilhar histórias e expectativas. Fiquem atentos para o arranque do Simpósio amanhã!

terça-feira, 26 de julho de 2016



rabisco rápido na hora de almoço...

NÓS E OS CADERNOS

Nós e os Cadernos
Em Fão há um passeio ao longo desta fantástica área húmida, com inúmera passarada e umas vistas lindas até à serra.
Nem sei se apetece mais passear, desenhar ou apenas olhar.

Da oitava janela

Uma visão rápida da minha janela das traseiras num lindo dia de sol.


Pessoas: às claras e às escuras!

À espera, para renovar o cartão de cidadão. Quando estava quase a chegar a minha vez, apareceu esta jovem que se sentou à minha frente e me fez retirar o caderno da mala para  a registar!


No CCB, jardim das oliveiras. Um concerto inesperado que veio a calhar para fazer tempo para outro a que ia assistir...


O magnífico John Mc Laughlin e os seus músicos. Um concerto espetacular! Desenhei-o às escuras!
Vou ter de arranjar uma lanterna daquelas com clip (usadas para  a leitura) para poder desenhar nestes momentos. Ou então, continuar a divertir-me com o desenho cego....

Rua Monte dos Burgos

Já há muito que não publicava.

Feito hoje no passeio matinal antes de começar a trabalhar. Que torra! O muro não é amarelo mas parecia o forno com a porta aberta.


A virgem gótica da Sé de Aveiro

A Sé de Aveiro é um ótimo sitio para se desenhar num domingo quente como foi este, é fresco e silencioso... :)
Desenho da virgem gótica do interior da Sé, conhecida como Nossa senhora da escadinha. A estátua está situada na primitiva parede da catedral.

Treze mil

Mais um desenho da rua que mais frequento...
Mais ou menos por alto, já terei transposto este portão cerca de treze mil vezes !

Ninguém pára quieto...




deixar o lápis fazer o que fazem os lápis


( que estranho lápis ser invariável.... mas isto já é coisa de bifa.)

À beira-mar


Que saudades que já tinha de desenhar... ouvi dizer que existem uns «pokemons do mar» será por isso que muita gente se perde a olhar...??

(Graph'it shake e Asterdam acrylic marker)                                                                                                                                      |«in situ»

Ainda aceitam sapatos?


Carnide


A escada do mar


Nós e os cadernos













 
Mais desenhos aqui.

viagem ao Peru

 
Machu Picchu é considerado uma das sete maravilhas do mundo moderno. Posso dizer que não decepciona! Um dos locais que há muito ansiava conhecer e que visitei no passado mês de Junho!
 
 
 


Mais desenhos e toda a viagem ao Peru no meu Blog:
http://fernanda-lamelas.blogspot.pt/

A caminho do Simpósio USk #3

Simpósio USk em Manchester dia -2


A última manhã em Liverpool foi passada a revisitar alguns lugares do dia anterior, tais como os Edifícios de Mann Island, projecto da Broadway Malyan, ou a Bold Street, com a Igreja de São Lucas a espreitar ao fundo. Também a coscuvilhar as livrarias e lojas de banda desenhada locais.


A Catedral de Liverpool foi o ponto de exclamação na volta à cidade. Começou a ser construida em 1906 num gesto revivalista de Giles Gilbert Scott - o mesmo arquitecto que projectou a Central Energética de Battersea, o sinistro, quase pós-apocaliptico edifício da capa do álbum Animals, dos Pink Floyd. Com o comprimento de 189 metros, é a catedral mais longa do mundo, e também se ajeita em altura. Aprecio sempre a ausência de decoração adossada nas igrejas protestantes - torna a beleza dos edifícios mais aparente. Uma atitude que normalmente falta nas igrejas católicas.


O meu objecto de desenho favorito - as pessoas - tem estado a ser esquecido à séria nesta viagem. Pude tirar a barriga de misérias no comboio para Manchester, e mais tarde, num evento.


O caminho para Manchester acabou finalmente, e levou-me directo à praça do City Council, onde descobri que, para além de anfitriã do Simpósio Internacional USk, Manchester é também a Cidade Europeia da Ciência e palco de um Festival de Jazz. Tanto a acontecer por aqui! Este último evento justificou a que a Cervejaria Hobgoblin levantasse um pavilhão na praça, rodeado por bancas de comida de rua e umas quantas mesas de exterior. O dispositivo ideal para ficar a desenhar.


Começava um concerto dentro do pavilhão, apenas momentos depois de terminar o desenho do City Council - não aceitei o facto como coincidência. Entrei na tenda, sentei-me na fila da frente e não pude evitar desenhar ao som da batida funky dos Portmanteau, uma banda Inglesa com uma energia tremenda e que pôs toda a gende de pé mesmo no final do concerto. Funk não é jazz, mas sem dúvida que eles ganharam o lugar no palco esta noite! No final, ainda pude confraternizar um pouco com a banda e ficar com os seus autógrafos.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

NÓS E OS CADERNOS

Nós e os Cadernos
Publicamente privando
Com os desenhos em cadernos.
Um excelente fim de semana.
Obrigado Tiago

Choupal - Torres Vedras

 
No passado dia 21 de julho, tive o prazer de conhecer a Rosa Chaves e de desenhar com ela. A Rosa é natural de Torres, mas vive na Terceira, onde é um dos coordenadores dos urban sketchers. Se não fosse o desenho, talvez não nos viéssemos a conhecer.
Um final de tarde em grande, entre riscos e amigos. Obrigado Rosa, Carlos, Ermelinda, Sofia, Luísa e Celina