Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

MarSP Project

    

Fui assistir ao scribing que a Vanessa Branco fez -in situ- para o MarSP Project - Macaronesian Maritime Spatial Planning. Saí do Teatro Micaelense cheia de orgulho nos Urbansketchers Açores.

(Lápis de cor, caneta califráfica, grafite e Aguarela)                                                                                                                                          «insitu»          

A Riscar de Vai ao Longe

Acaba já este domingo o ciclo de oficinas A Riscar se Vai ao Longe, no Edifício Arte Contínua.Foi uma experiência muito gratificante. O sítio é lindo, e com os desenhadores por lá espalhados, ainda fica melhor.
Para o ano há mais:)

Palácio da Regaleira


sketchbook therapy


chuba, chuba, chuba, chuba, chuba, chuba..................!

À espera


quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Desafio 106 - Desenho táctil

O Desafio 106 é um desafio à imaginação. Como fazer em duas dimensões um desenho táctil. No dicionário: 1.Palpável, tangível, tateável 2.Do tacto ou a ele relativo 3.Que permite o toque com os dedos

Até 25 de Dezembro

Atenção às regras, nomeadamente à etiqueta: Desafio106 (sem espaço). Lembramos que quem tiver mais comentários (não valem os repetidos, nem do próprio, nem de anónimos) o seu desenho vai para o cabeçalho no próximo mês. 


Embaixada. Principe Real

Antes do Power Point...

... usavam-se desenhos para apoio das aulas de arquitectura.
Alguns desses desenhos (dos melhores) estão desde ontem e até 2020-02-21 expostos no Grémio Literário, R Ivens Nº37, em Lisboa. Desenhos maravilhosos. A não perder.
DESENHOS DIDÁTICOS DE JOSÉ PEDRO MARTINS BARATA

Enquanto ela acerta a franja

Em Castelo Branco, a desenhar o que estava à minha frente, enquanto esperava pela Nini, que tinha ido cortar a franja, o que demora para aí uns 10 minutos. Mundo muito complexo este do cuidado capilar feminino, onde, em lugar de se cortar todo o cabelo, a coisa faz-se por secções. Há uns tempos atrás, num acto meio tresloucado, a Nini pediu-me a mim para lhe acertar a franja. Disse que se sabia desenhar também deveria conseguir dar uma tesourada a direito. Eu não achei boa ideia, mas ela insistiu... eu tinha razão...


quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Vista da Assembleia.

«A Minha Primeira Audição 2019»

Há já vários anos que o Conservatório de Música do Choral Phydellius, de Torres Novas, organiza o evento «A Minha Primeira Audição». Nesta audição, muitas das crianças da iniciação, fazem a sua primeira apresentação ao público (na sua grande maioria, familiares), quer executando os instrumentos que estudam, quer no coro.


O momento que registei, foram os instantes que antecederam o espectáculo, em que os "meninos do coro" esperavam sentados o inicio da sua "primeira audição".

Portaram-se lindamente, e estão todos de parabéns!

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

À espera


56º Encontro de Diários Gráficos USK Açores | Dia Internacional do Chá

Domingo dia 15 de dezembro,  das 14:30 às 17:30, os  Urbansketchers Açores  comemoram o DIA INTERNACIONAL DO CHÁ com uma visita orientada por Pedro Pascoal de Melo (*) à Gorreana, uma produtora de chá de primeira classe e de reconhecimento internacional.
«A Gorreana enquanto plantação, fábrica e museu, é o local idilico para degustar uma chávena de chá ao mesmo tempo que se pode apreciar as máquinas Marshall originais datadas de 1840 ainda em funcionamento na fábrica. O cheiro do chá fresco e das flores que circundam a propriedade associados à vista deslumbrante sobre o mar azul e o verde inebriante das montanhas constitui um autêntico paraiso tão peculiar como o chá das nossas plantações que deve as suas características únicas ao nosso clima, ao PH do solo argiloso, ácido e rico em minerais e, claro, à briza maritima que cai sobre as plantações e aos métodos de cultivo artesanais. São essencialmente estas as razões pelas quais o único local onde se produz chá na Europa há mais de um século é aqui nas plantações Gorreana na inebriante ilha de São Miguel.»
*Pedro Pascoal de Melo (Ponta Delgada, 1961). Licenciado em Estudos Portugueses (U. Açores) e em Património Cultural (U. Açores), Pós-Graduado em Património, Museologia e Desenvolvimento (U. Açores). Membro do Instituto Cultural de Ponta Delgada. Investigador na área do Património, Arte e História local. Tem desenvolvido trabalho sobre a História do chá nos Açores, nomeadamente sobre as fábricas da Mafoma e Gorreana.*Pedro Pascoal de Melo (Ponta Delgada, 1961). Licenciado em Estudos Portugueses (U. Açores) e em Património Cultural (U. Açores), Pós-Graduado em Património, Museologia e Desenvolvimento (U. Açores). Membro do Instituto Cultural de Ponta Delgada. Investigador na área do Património, Arte e História local. Tem desenvolvido trabalho sobre a História do chá nos Açores, nomeadamente sobre as fábricas da Mafoma e Gorreana.


Panorâmica

Mais uma panorâmica feita em Ponta Delgada. 

A árvore podada

Árvore podada na estação de Santos

Salinas de Rio Maior

No passado dia 30, os Oeste Sketchers estiveram nas Salinas de Rio Maior no evento Presépios de Sal, foi um dia de encontro de artistas fabuloso, fomos muito bem recebidos por Alcides Ribeiro e Ana Alves da Fábrica da Alegria , a paisagem pedia mesmo desenhos.

Deu para desenhar em cadernos ou em folha solta no cavalete.

Pintar na rua ou ao abrigo.

Até deu para desenhar nas toalhas do restaurante...  


Fizemos as habituais exposições relâmpago.


 Agradecimentos à Ana Alves e Alcides Ribeiro da Fabrica da Alegria,  aos patrocinadores do almoço: Churrasqueira Solar do Sal, Restaurante SalariumLoja SalGema, Oficina e Casa de Artesanato "O Poço"; e à Loja do Sal, pela lembrança de Sal.


Créditos desta bela foto para o fotografo de Sal Sem Mal.
...
Mais registos em Oeste Sketchers
Portugália.Lisboa

Jardim do Campo Grande

Malta a descontraír depois do trabalho...


segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Cancelamento do Simpósio de 2020 em Hong Kong


À luz dos mais recentes desenvolvimentos na cidade e por razões de segurança os Urban Sketchers Hong Kong decidiram retirar-se da organização do Simpósio 2020 que ficou assim cancelado.

O artigo com a notícia pode ser lido na edição de dezembro da Drawing Attention ou no blogue dos Urban Sketchers.




Montes da Ladeira da Velha

A Batalha da Ladeira da Velha
"No dia 3 de Agosto de 1831, nos montes da ladeira da Velha, localizados a Nascente deste Miradouro, Concelho de Ribeira Grande, as tropas de D. Pedro IV haviam de vencer o exército do Rei de tradição absolutista, seu irmão, D. Miguel. Foi uma Batalha decisiva. Por ela se consolidou a vitória das forças liberais no Arquipélago dos Açores, bem como se abriu o caminho que, depois de uma guerra civil cruenta, levaria em Évora Monte, aos 26 de Maio de 1834, à queda do absolutismo e à reposição, em Portugal, da Carta Constitucional."


(Lápis de cor, caneta califráfica, grafite e Aguarela)                                                                                                                                        «insitu»