Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Abrantes

A construção do Hospital Distrital foi um acontecimento importante para a evolução da cidade.
Um post feito com a Maria Celeste no pensamento.
(Residência Artística no Encontro de Cadernos de Viagem de Abrantes 2017).

Passadiços do Paiva



























Este fim de semana, numa visita aos Passadiços do Paiva, em Arouca, recém abertos depois de terem
sido destruídos pelos incêndios no Verão passado. Um fantástico percurso de 8 km, cheio de diferentes perspectivas e relações com o rio Paiva. Este desenho é a perspectiva de uma das descidas do percurso, que magnificamente serpenteia pela vegetação e rochas.


Até ao próximo sketch, Celeste!



É sempre com enorme lamento que estas notícias são recebidas, e muito mais dadas. Uma perda! Desde já, à família enlutada, as minhas sinceras condolências.

Pelo pouco tempo que estou nos USKP, penso (ou pelo menos não recordo) que não tive o privilégio de privar e desenhar com a Maria Celeste, mas pelo que leio aqui, e na rede social, só posso lamentar o que perdi. Certamente, bons momentos, boa disposição e belos sketchs na sua companhia.

Nada mais posso fazer senão um humilde e sentido sketch onde, certamente, está no seu melhor: com alegria a desenhar! A foto é a da sua capa na rede social. Fica o sentimento, entre tinta, aguarela e água, que em nada se compara ao que ela certamente passou. 

Até ao próximo sketch, Celeste!


Descansa em paz, Celeste.


Não sei muito bem o que escrever...

Conheci a Celeste em 2009, logo no início dos USkP. 
Este foi o primeiro post dela, pediu-me por email para o publicar e disse logo que sim.
Este foi o primeiro post dela como autora do blogue, sem precisar de pedir licença. Dei-lhe esse acesso quando houve vaga e ela exultou de alegria.
Este foi o último post dela no nosso blogue, já doente, mas com a frescura de sempre.

Não me poderei nunca esquecer dela no Simpósio em Lisboa. Lutadora e cheia de garra com um pé partido, mas a ir a todos os workshops.

Não me posso esquecer dela nos retiros de diários gráficos. Com o olhar de uma criança alegre, como quem vive tudo pela primeira vez.

É impossível esquecer que foi na casa João do Rio que os nossos amigos sketchers ficaram a saber que a Ketta estava grávida. Coincidência ou não, o Matias acabou por nascer no mesmo dia que o pai da Celeste, a 16 de agosto.

As memórias que guardo da Celeste são as de uma lutadora que queria viver a vida ao máximo.
Ontem uma infecção roubou-lhe a vida...
Amanhã lá estarei na igreja São João de Deus, não sei a que horas da noite, mas estarei. E irei desenhar, pois é a melhor homenagem que lhe posso prestar.

Querida Celeste!

Lojas Tradicionais de Lisboa - Manteigaria Silva

Mais uma :-)






Escadinhas de São Cristovão


Lisboa é atravessada por uma quantidade infindável de escadas, escadinhas e escadotes e acho que chegou a altura de as desenhar compulsivamente porque é um desafio muito interessante e faz-me explorar novas composições, como no desenho de cima - um desenho vertical. Não faço desenhos verticais no caderno porque não gosto de virar o bloco a 90º e como tal, usei uma folha solta. Não gostava do desenho ao inicio mas confesso que com a cor descomprometida, o desenho ganhou uma nova vida e diverti-me bastante no processo, pelo que irei tentar repetir mais vezes.


Aqui, durante um passeio, um desenho como eu costumo fazer, mais rápido, solto e meio inacabado. Foram as escadinhas de São Cristovão, venham as próximas.

Festival Internacional da Máscara Ibérica, em Lisboa

Olá a todos!
Lisboa é mais uma vez palco do Festival Internacional da Máscara Ibérica (FIMI), a realizar este ano nos jardins da Praça do Império, frente ao mosteiro dos Jerónimos, entre os dias 4 a 7 de Maio.
A organização, que resulta de numa parceria entre a Progestur, a EGEAC e a Câmara Municipal de Lisboa, lançou o desafio de uma iniciativa de desenho que envolvesse a representação das máscaras e, deste modo, os Urban Sketchers Portugal associam-se ao XII FIMI, lançando o convite de um open call para o registo dos dias do festival, desenhando as máscaras, os concertos, atividades, animação de rua e ambiente festivo. O ponto alto será no sábado dia 6, durante o desfile de máscaras, contando com mais de 30 grupos vindos da Península Ibérica e países da América Latina.
A entrada no recinto é gratuita e não é necessário inscrição para a participação. Caso desejem, a organização disponibiliza aos USk credenciais de livre transito para as áreas restritas do evento, tais como a zona onde os mascarados se preparam e outras. Para tal, basta enviarem a ficha de pedido com os vossos dados, que poderá ser levantada no recinto do festival junto ao stand da Progestur, podendo aí obter mais informações sobre as áreas de acesso. Caso haja necessidade, estes ainda poderão ser pedidos no momento, no stand.
Consoante a aderência e os resultados, há interesse por parte da Progestur de posteriormente pensar numa exposição itinerante ou uma publicação, por isso venha vontade de participar e de desenhar que o festival promete bons modelos e excelentes momentos!
Para mais informações e pedido da ficha de livre transito, o meu email fica disponível suzanannobre@gmail.com
 
Para a publicação no blog poderão colocar a etiqueta FIMI2017.
 
 
 

Jardim do Luxemburgo


O jardim é monumetal e faz parte do Palácio do luxemburgo. Sentámo-nos no cadeiral a desenhar e quando nos apercebemos da «regata» no lago já era tarde e o meu filho ficou muito triste por não poder brincar com um dos veleiros. Voltámos dois dias depois, foi para ele uma grande surpresa de alegria imensurável.

(Caneta caligráfica, carimbo e marcador)                                                                                                                                          |«in situ»|

Finlândia III - Suomenlinna


Se há sítio de Helsínquia que qualquer visitante deve conhecer, é a ilha de Suomenlinna. Trata-se de uma das mais poderosas fortalezas do Báltico. Foi sueca, foi russa, e está ali, numa ilha hoje serena, bem perto do centro da cidade.  A viagem de barco até lá é como um desfile de ilhas e de arquipélagos, num mar-lago onde a terra e a água quase se confundem. E a cidade, à medida que nos afastamos mar adentro, vai revelando a sua skyline única, onde a catedral luterana rivaliza com a ortodoxa, numa cidade que se quis fazer à imagem de São Petersburgo.


De repente, o barco deixa-nos numa ilha bucólica, com casas de madeira e gansos a esgravatar a terra húmida da neve recente. Lembra a ilha de Kristiania, na Dinamarca, mas aqui a paz é absoluta. A fortaleza, estilo vauban do século XVIII, é tão grande que jamais imaginei possível nesta latitude inóspita.
São talvez os seus 60ºN que justificam a classificação da UNESCO. E quase justificam, por si só, a ida aos antípodas da Europa.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Vem desenhar a minha escola

No fim do mês de Fevereiro, O Duarte enviou um convite a todos os Urban Sketchers para irem desenhar a escola dele, o Jardim-Escola João de Deus em Torres Vedras,  e apresentar a nossa Associação aos colegas e professoras.

O  convite foi aceite e, assim, sexta feira à tarde, no dia 31 de Março lá estivemos em Torres Vedras com os 18 alunos do 4º ano, a professora Filomena e a professora Marta.

Este encontro, “Vem desenhar a minha escola” teve um cartaz desenhado pelo Duarte:


Foi uma tarde muito divertida onde apresentámos a Associação, lançamos vários desafios  e até houve lugar para um desafio para TPC!

Começámos por fazer desenho cego, depois brincámos com a perspetiva com a ajuda de palhinhas e, como exercício final, desenhámos euforicamente (um exercício replicado de um retiro do Mário Linhares realizado em Turim) para terminarmos em festa.

Nos mês de Junho vamos fazer uma exposição na escola com os desenhos que originaram deste encontro.












Os alunos adoraram e a professora Filomena pediu-nos para voltarmos e repetirmos a experiência! J

Gostaria de agradecer à Isabel Alegria, à Helena Monteiro, à Teresa Ruivo e ao Eduardo Salavisa a vossa participação e disponibilidade para se deslocarem de propósito a Torres Vedras para este encontro.
Agradeço também a todos os que se disponibilizaram para participar nesta actividade e que, por motivos profissionais e outros razões de força maior, não conseguiram estar presentes.

Finalmente, tenho de agradecer à professora Filomena e ao Jardim-Escola João de Deus pela vossa abertura a actividades desta natureza e por nos terem recebido de braços abertos.
Todos vós, fizeram 18 crianças muito felizes, incluindo o meu filho Duarte!


Muito Obrigada!






A praia aqui ao lado

Estar ao pé do mar é simplesmente maravilhoso. Sempre que posso sento-me e observo. Gosto do movimento das ondas (um dia hei-de conseguir captá-lo), gosto das cores e gosto do som. Hoje as meninas tinham festa de aniversário. Aproveitei a tarde para ir até São Julião. Sentei-me numa zona de escadas que dão acesso à praia e fiquei ali a desenhar calmamente.


25 Abril

Um desenho com exactamente 30 anos, em plena fase lápis de cor.

25 de Abril, sempre

Desta vez os festejos foram durante a residência artística em Abrantes.


Cabeleireiro

Falhei algumas cadeiras, uma pessoa, frascos e caixinhas, texturas, reflexos e sombras... mas pelo menos foi rápido.

FAC CIENCIAS_Cidade Uiversitária

FAC CIÊNCIAS_(FCUL)_ABR17:  desenhar o exterior dos edifícios na Cidade Universitária, Lisboa

1.EXTERIOR

                                      Fig. 1. ENTRADA DA BIBLIOTECA_ABR17


 
Fig. 2. EXTERIOR DA BIBLIOTECA_ABR17




 
Fig. 3.  Pátio_C03_FAC  de CiÊNCIAS_ABR17
 
Fig. 4. FAC CIÊNCIAS_ escadarias em tubos de ferro e betão, no exterior

2. NO INTERIOR
Apenas concebi uma imagem no interior da biblioteca (com mesas cadeiras e material disponíveis de apoio - computadores).
Nesta página nota-se perene aviso de silêncio, no espaço da Biblioteca
Fig.. 5_BIBLIOTECA com equipamento de apoio para os utentes.
Com pedido de permissão e no meu interesse devido aos registos inacabados, durante os próximos dias gostaria de fazer os desenhos do restante espaço previamente definidos e visitados.

Rossio, Aveiro

Situado em plena baixa de Aveiro, o Rossio acompanha a ria na entrada da zona mais movimentada de Aveiro, com um grande reboliço de turistas a saírem dos autocarros, fazerem fila para entrar nos moliceiros ou a admirarem os edifícios Arte Nova que ali se encontram. É um espaço verde grande, um pouco subaproveitado no que poderia a sua dinâmica com a população e com quem ali passa. Tinha uma grande fileira de palmeiras que acompanhava a linha da Ria e que lhe era bastante característico, mas que para minha surpresa, de um momento para o outro, desapareceram, não resistiram ao maldito escaravelho. Aquelas duas no desenho ainda resistem, vamos ver até quando...

Experiencias




Resolvi desenhar experiencias que estava a fazer para fotografar uma "natureza morta"

25 de abril, tempo de liberdade, liberdade para desenhar... (sempre!)


Mais um bocadinho do Seixal no meu caderno.



25 de Abril Sempre!