Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Mais malta às cores




ainda o 1º Encontro Nacional de Aguarelas

1º dia do Encontro

Na 6ª feira, durante a hora do almoço, fiz uma "visita de médico" à Quinta da Viscondessa. Para além das fotos, ainda saíram uns registos rápidos.







Museu Metrologia

Enquanto esperava, no IPQ, visitei o Museu de Metrologia.
Um admirável conjunto de balanças (só desenhei umas poucas) entre muitos outros objectos de uma fantástica colecção.
E quem se recorda dos taxímetros a 2$50 a bandeirada? Lembrei-me logo dos Mercedes 180D pretos e verdes já presos com arames e ainda a cobrar.
E os relógios do bilhar?
A visitar, perto de Almada.

Doca de Alcântara


Com o calor que se faz sentir, porque não um passeio junto ao rio?

Escola Oficial, Azenhas do Mar, dia 20


Jacarandás

Muito calor, a selecção jogava e era hora de almoço...
Uma rapariga enquanto atravessava a rua exclamou:
 - Estes jacarandás estão lindos!

E foi assim que fiquei a saber que árvores eram. Confesso que não fazia ideia!


Torres Vedras - Araraquara IV


Após uma semana intensa de workshops de Sol a Sol, desenhei muito pouco mas irei revelar num futuro post alguns dos apontamentos que fui fazendo durante esses dias. Após todo esse cansaço (do bom) chega o esperado Fim de Semana e a  continuação do Encontro de Desenho do USk Araraquara. Sábado de manhã, voltámos a acordar cedo para desta feita rumar à Casa do Pinhal, a fazenda onde o André esteve em residencia artistica durante to da a semana. Apesar de ser Outono a caminho do Inverno, o Sol queimava e 28º é a temperatura que Portugal queria ter tido em Maio... 
A Fazenda é um lugar mágico onde cada recanto merece ser desenhado, sendo que não me vou alongar neste assunto que o André tão bem relatou nos seus posts. Após a sessão de desenhos, o Brunch! Foi sem dúvida um dos melhores que já tomei, dada a qualidade da comida e o fantástico cenário. Não desenhei porque a comida estava óptima e enquanto há comida, não há desenhos ;) 

Depois de voltarmos à cidade, eu, o António e a Cátia (os únicos Portugueses resistentes em Araraquara) aceitámos o convite dos nossos amigos Araraquarenses e fomos até ao Açaizeiro para comer uma taça gigante de Açai com uma vista fantástica para a rua amarelada pelo por do sol. As cores do por-do-sol em Araraquara são como as de Torres Vedras x 10. Os amarelos e as sombras púrpuras são lindas de morrer e não, eu não consegui colocar isso no papel. Como diz o António, se vamos lutar contra a Natureza, perdemos sempre...

Para terminar a noite e porque no dia seguinte íamos acordar bem cedo para o Encontro de Desenho, fomos com os nossos amigos para a Casa Bersanetti, o bar muito castiço na mesma rua do Açai. Petiscámos e bebemos à brasileira devidamente instruídos pelos locais, numa divertida saída pela noite de Araraquara, que seria a última antes de rumar a Lisboa...

Continua...

Mais desenhos aqui: intervalosalmoco.blogspot.com/2018/06/torres-vedras-araraquara-iv

Último desenho do Encontro dos Urban Sketchers do Norte




Em Bravães antes do regresso ao Porto atirei-me a estes verdes que estavam dentro do perímetro da Igreja. Comecei o dia com os verdes e terminei com eles.

O kiosque

Av. Liberdade, Lisboa, fim de tarde.

O Arraial e as Gulodices - Reportagem Stº Cristo 2018 [9 de maio]






Fiz o primeiro registo ao som dos «Filhos da Terra» da Ribeira Chã. Notou-se um decréscimo no número de pessoas a assistir, sinal de que as festas se aproximam do fim.


No coreto, registei alguns sketchers que estavam comigo a desenhar: António Cabral, Helena Monteiro, José Artur, Sandra Medeiros e Tatiana Sousa. A sobreposição dos elementos compositivos pretende conferir uma dimensão temporal ao registo.

E claro, que tivemos de fazer parte da brincadeira... os matraquilhos e os carrinhos de choque. Os aviões «matam-me», mas o meu filhote adora estas coisas e no fim é sempre divertido.




(Caneta caligráfica, lápis de cor, aguarela, marcador e grafite)                                                  «in situ»

Bravães


Baldaya, de fora


Fiz esta direct watercolour há já algum tempo, ainda o céu estava cinzento. O Drink&Draw tem sido surpreendente e hoje vai ser a última sessão antes das férias grandes. A ver se para o ano há mais... 

Gente da Beira-Mar

Já no final mas fiz uma pequena participação no projeto da Anabela Salgueiro, Encontros com Arte em Comunidade no Bairro da Beira-Mar. Enquanto a Anabela entrevistava os participantes desta iniciativa eu fazia o registo em desenho das pessoas.





terça-feira, 19 de junho de 2018

Ermida e Cruzeiro de S Julião


São muito referidas nos roteiros turísticos de Melgaço (ver aqui: http://www.cm-melgaco.pt/visitar/o-que-fazer/pontos-de-interesse/cruzeiro-capela-de-sao-juliao/  ) e não podia deixar de lá ir.
Uma bonita ruína românica, mesmo à beira da estrada, que já teve dias melhores.
Encontrei esta perspectiva que achei interessante porque aponta um percurso escada- portão- cruzeiro- ermida e resulta numa composição com peças de épocas e funcionalidades diferentes.

Igreja da Graça vista do Teatro Taborda , dia 19


O desenho proibido

Sabia que era proibido entrar com material...escondi uma folha e um lápis , desenhei escondida com 48 graus….este foi o resultado dum desenho proibido!!Dois dias depois de chegar à India perdi o meu caderno no comboio...um verdadeiro exercício de desprendimento material..salvou-se este desenho porque estava solto...Adicionar legenda

Ainda o Encontro dos Urban Sketchers do Norte




Feito da parte da tarde sábado. O da esquerda em Ponte da Barca, o da direita em Bravães.

PONTE DA BARCA (2)



Arrematação de ofertas - Reportagem SSC dos Milagres 2018 [7 de maio]


Foi dia de Arrematação de ofertas e pequenos animais domésticos no adro do Santuário. A mesa constituia-se pela  irmandade do SSCM e o cenário foi  de licitação. As ofertas iam chegando de todos os géneros (bolos, pinturas, galinhas, pombos, coelhos, cabras, carroças, fruta, etc..) e sendo apresentadas à multidão que ali estava com o propósito de assistir e participar. Conseguimos ficar no certro das operações (fomos, novamente, muito bem tratados). Estava muito sol e não foi fácil ficar por ali a desenhar durante muito tempo, mas a experiência foi incrível pela forma e pelo conteúdo.
(Caneta caligráfica, lápis de cor, grafite e aguarela                                                            «in situ»

Ponte da Barca