Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Galaico Folia

Não sei se é também por preguiça (ver João Santos) ou por achar que está bem assim, ou por achar que o desenho é assim mesmo: a linha, a preto e branco, com o mínimo de elementos.

Dois desenhos que fiz no “Galaico Folia”, evento que decorre no Castro São Lourenço, perto de Esposende, e que visitámos integrado no “Nós e os Cadernos”, organizado por Tiago Cruz há uns anos para cá.



3 comentários:

João Santos disse...

Eu gosto mesmo assim! Só com aqueles pequenos detalhes de cor, que me parecem emprestados de outras páginas eheh

Manuela Rolão disse...

Eu aprovo!
Mas a cor nos teus cadernos é muito relevante!

Luís Ançã disse...

Muito bonitos. Compreendo o João Santos pois também aprecio muito trabalhos lineares (e não preciso de me lembrar do Matisse nem do Picasso...)embora haja desenhos que clamam por cor. Os teus cadernos têm aquela particularidade muito interessante que o João Santos refere que são os vestígios de cor de outras páginas.