Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blogue só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

terça-feira, 21 de maio de 2019

O melhor trabalho do mundo

Entre as muitas novidades que ser pai me tem apresentado, uma delas foi a entrada numa espécie de sub-mundo onde passamos a estar constantemente em locais onde gente grande se tornam uma espécie de servos de criaturinhas irrequietas e barulhentas. Neste sub-mundo por vezes dedicam-se domingos inteiros, como foi o caso, a ir a certos locais só por eles. Como a natação, onde os pais que não vão com a criança à piscina ficam cá fora, quais caxorrinhos, babados junto aos vidros a verem o seu rebento chapinhar. Ou o parque, onde ficamos ali especados, sempre atentos para que a criança não caia de um sítio qualquer, a perguntar-lhe se tem xixi ou cócó, ou se tem fome, etc... enfim, somos peões neste seu frenético xadrêz, mas gostamos. Por isso se diz que é o melhor trabalho do mundo.


13 comentários:

Manuela Rolão disse...

A profissão pai/ mãe!
Gostei desta interpretação do desafio!
E dos teus registos também!

Mário Linhares disse...

É maravilhoso. Tudo!

Henrique Vogado disse...

As tardes nos parques infantis, os aniversários dos miúdos nos espaços com bolinhas e insufláveis - um mundo que ficamos a conhecer como observadores vendo os miúdos contentes por se divertirem e por terem os pais a olharem. Desenhos muito bons feitos com o tempo de observação que se tem. Muito bom!

Luís Ançã disse...

Desenhos maravilhosos. Também gostei muito das observações.

Teresa disse...

Gosto muito !

hfm disse...

Gosto. Muito.

Patrícia Ferreira disse...

É isso! Bravo!

Suzana disse...

Bem verdade!

Teresa Ruivo disse...

Tudo fantástico. Cabeçalho please!

Eduardo Salavisa disse...

É isso! Os teus desenhos são irónicos. Estes e os outros. E este texto comprova-o.

Rosário disse...

Tenho dificuldade em chamar uma profissão mas acho os desenhos maravilhosos tal como ser mãe (sem lhe chamar profissão)!

Fernanda Lamelas disse...

Muito bom, como sempre!

Alexandra Baptista disse...

Sempre no top.