Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

terça-feira, 6 de novembro de 2018

As fantásticas escadas

Quem me conhece sabe que adoro escadas. Embora nunca tenha andado na corda dos malabaristas sinto que estou a andar nela quando desenho escadas. A caneta e o olhar vão cruzando informações nestas linhas escorregadias e traiçoeiras. E depois há aquela mania de querer desenhar tudo e começar a entortar para poder colocar as escadas de cima e as escadas de baixo. É uma viagem do caraças. Este desenho em particular foi feito num antigo edifício ligado ao Instituto da Vinha e do Vinho de Torres Vedras no fantástico fim de semana de 26,27 e 28 onde tive o privilégio de participar no 4º Encontro Internacional de desenho de Rua.  Depois do desenho veio o guache para tentar transpor para o papel a patine do tempo daquelas paredes e os graffitis que nelas habitam. Adoro Guache. Pena é que pinte tanto papel como, braços, roupa, chão etc.....

8 comentários:

Rosário disse...

Muito giro!

Ana Crispim disse...

Este está Fabuloso !!!

António Araújo disse...

Boas escadas :). Também adoro gouache, mas raios, não dá jeito nenhum andar com ele...

L.Frasco disse...

Estas escadas estão de arromba!!
Até dão vertigens!

Alexandra Baptista disse...

Grande página.

Marcelo de Deus disse...

Cabeçalho ja :-)

Lurdes Morais disse...

Muito boas!

Pedro disse...

Umas escadas de mestre!