Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Porto, a ressaca.

No dia após o simpósio acordei estranho, arrastei-me até ao subsolo do hostel para tomar o pequeno almoço. Lá encontrei a Orling Dominguez, com quem tinha estado a conversar no dia anterior, afinal estávamos no mesmo hostel sem saber (e só quando cheguei a casa me apercebi que o KK também lá tinha estado hospedado). Conversámos mais um pouco, juntando-se mais 3 sketchers israelitas e uma sul africana e chegou a hora do check out. Tinha bilhete de autocarro lá para o fim da tarde, por isso fui deambulando lentamente pelas ruas do Porto. Aqui e ali encontrava mais uns sketchers com um ar tão perdido quanto o meu, como quem se pergunta: "então e agora... já acabou... mas foi tão rápido..."
Conclusão: isto dos simpósios mais parece uma daquelas "one night stand" que desejamos secretamente se torne amor para a vida.



3 comentários:

Rosário disse...

Belas páginas e com muita informação! E o Nasoni está lá sepultado?

J.Espadaneira disse...

Obrigado Rosário. Pelo que li o Nasoni está sepultado na nave da igreja. Muitos dizem que está na cripta mas ao que parece a construção desta é posterior.

Luís Ançã disse...

Teu inconfundível grafismo, Espadaneira. Sou um verdadeiro fã do teu trabalho!