Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Malagráfica '18


 No final do mês de Abril, juntei a família e rumámos  ao Sul de Espanha e após uma breve passagem por Cordoba, fomos para Málaga onde iria ser formador na Malagráfica. Ao chegar à Plaza del Obispo, já muitos estavam a beber e a desenhar a imponente catedral da cidade.
  

A conversa era muita mas curiosamente ninguém parava de desenhar! Todos falavam uns com os outros e desenhavam em simultâneo! Eu que pensava ser um desenhador compulsivo tive de repensar o meu estado e concluir que afinal há casos piores que o meu. Para não  destoar, continuei a desenhar ao mesmo tempo que pensava "Estes Espanhóis são loucos..."


Aqui, num dos poucos desenhos que fiz durante os workshops, uma parte da Plaza de la Merced num divertido workshop com a Maru Godas e Jorge Arranz. Para além de excelentes instrutores são pessoas fantásticas  e o Jorge tem uma história de vida absolutamente incrível e se tiverem hipótese de ir a uma conferencia com ele, não percam a oportunidade! 

Depois do festival chegar ao fim, a cidade de Málaga merecia a nossa permanência e para tal, alugámos um apartamento em pleno centro histórico e continuamos mais uns dias para absorver tudo o que esta bela cidade oferece. Neste dia convidámos o Sílvio a jantar conosco que levou o vinho e uma boa dose de conversa. Para além de ser sitio para voltar, eu arrisco a dizer que vivia lá de bom grado. É uma cidade incrível e que superou todas e quaisquer expectativas que eu tinha... 

5 comentários:

Bruno Vieira disse...

Ficaram mesmo bem.
Já não me espanta se vir um sketcher com três braços a desenhar 😀

teresa ruivo disse...

Impressionantes! E vi logo que era o Sívio antes de ler o texto!

Alexandre Esgaio disse...

Brutal!

André Duarte Baptista disse...

excelente

Miú disse...

Soberbo traço, fantástica cor!