Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Reportagem SSC dos Milagres 2018 | Depois da procissão [6 de maio]


Sentei-me nas escadas do Santuário a observar o espaço. O João V. Dias quis fotografar a iluminação e o José Artur acompanhou-o. A Celeste V. Ferreira sentou-se ao meu lado e começou a desenhar. Senti que devia desenhar aquele momento,  mas  estava exausta e preguiçosamente usei os meus carimbos para sugerir a confusão que nos envolvia. Era tarde, a imagem tinha recolhido pouco tempo antes, havia gente por todo o lado e muitas aparas de madeira misturadas com folhas de criptoméria, pétalas e lixo, muito lixo. Os técnicos da RTP Açores apareceram para desfazer o «aparato» que ali tinham montado, o cansaço estava estampado na cara das pessoas... 
(Caneta caligráfica, Marcador, aguarela, lápis de cor e carimbo)                                                   «in situ»

2 comentários:

hfm disse...

Gosto tanto da forma como o tapete foi tratado.

Celeste Vaz Ferreira disse...

Como gosto deste desenho.