Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Ponte de Cevide


O Rio Trancoso corre de sul para norte e mesmo junto da foz, que faz no Rio Minho, tem um estrangulamento que quase se vence a salto. A ponte não era esta. Era mais bonita mas também de madeira e por aqui passou muito contrabando. Era uma forma de vida bem documentada no ESPAÇO MUSEOLÓGICO MEMÓRIA E FRONTEIRA, em Melgaço.
Hoje os vizinhos (e os turistas) passam de um lado para o outro em verdadeira comunidade sem fronteiras, como deve ser.
Da Guarda Fiscal sobram as grades numa casa que agora é propriedade particular e do resto sobra a beleza do local e a memória de uma vida que foi dura.
Não tem acesso automóvel mas vale a pena a caminhada.


2 comentários:

Rosário disse...

Lindíssimo!

Membro USK disse...

Grande reportagem
Leonor Janeiro