Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Heritage Indoor Sketchers I



Por acaso viram o Luís Frasco? Dizem que está sentado num banco tripé, numa cave, a desenhar com uns tipos, vá, com a mania do desenho.
Mas o que é que há lá para ver? É só espreitar! Naquela cave, sob as mais finas abóbadas quinhentistas, guarda-se a memória da família Eugénio de Almeida. E aqueles móveis revestiam-se com a melhor arte da marcenaria. Afinal, o tempo que ali estivemos a desenhar soube a pouco. Mas este encontro de desenho ainda mal começou!

4 comentários:

Maria Leonor Janeiro disse...

Muito bonito
Leonor Janeiro

Alexandra Baptista disse...

Gosto muito desta publicação, do todo.

nelson paciencia disse...

Também gosto!

teresa ruivo disse...

Gosto de sentir os avanços e paragens das tuas linhas, como uma viagem