Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 23 de abril de 2018

O caminho faz-se caminhando

Creio que por vezes é natural a sensação ocasional de estagnação... e também no desenho por vezes isso acontece, como se tudo saísse repetido, e pior, como se a evolução tivesse atingido o seu pico e cessado... por isso por vezes gosto de rever os meus desenhos antigo, porque me lembram que, como disse Ralph Waldo Emerson "os anos ensinam muitas coisas que os dias desconhecem".
Aqui deixo os últimos registos no metro e, depois, aqueles que foram talvez as minhas duas primeiras tentativas de desenhar gente. E, como não podia deixar de ser, foi a Nini o meu primeiro alvo.

 



Desenhos feitos em Março de 2014



8 comentários:

ana pato disse...

ehehe, é muito giro de facto olhar os caminhos percorridos. e se por um lado as diferenças são obvias também lá estão as semelhanças, como quando olhamos para a nossa cara de bébés ou meninos e reconhecemos muito da nossa essência. Parabéns pelas tuas caminhadas.

João Santos disse...

Obrigado Ana :)

Suzana disse...

É engraçado estares a falar nisto, revejo-me completamente nessa sensação, e neste fim de semana de viagem já não consegui pegar na Bic para desenhar os meus passageiros porque senti essa estagnação que não me estava a agradar. Novas experiências vêm a caminho!
É muito giro ver os primeiros desenhos, que evolução!!

Bruno Vieira disse...

Nada como mudar de materiais e de técnicas para quebrar a estagnação. Grande evolução.

Miú disse...

A tua evolução foi fabulosa, João, ao ponto de os teus actuais desenhos estarem a um nível INCRÍVEL de criatividade e perfeição técnica. Sabes, gostava que o teu terceiro desenho estivesse, sei lá, na minha sala :), se ampliado para o tamanho de um óleo. Adoro a composição, as cores, tudo!

Ketta disse...

É sempre bom rever os nossos desenhos antigos. Por vezes gostamos deles agora do que quando forem feitos!
Desenhar, sempre desenhar! E arriscar, com o que é novo e com o que é antigo!
Parabéns pela caminhada!

Isabel Alegria disse...

Gosto especialmente, e muito, do primeiro (da Nini) e do último (no metro). Estão retratos muito sensíveis!

teresa ruivo disse...

Fã desde o primeiro, logo suspeita :) Gosto de todos. E como sinto essa coisa da estagnação...!