Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 21 de março de 2018

Teias civilizacionais(?)

Finalmente um sketch para desenferrujar os dedos!
...teias de fios eléctricos...


5 comentários:

Manuel Tavares disse...

Muito bom!

Eduardo Salavisa disse...

Também gosto muito.

João Santos disse...

Muito bom, adoro aquele azul do céu!

Lurdes Morais disse...

Obrigada!

Lurdes Morais disse...

João Santos, o céu de cima para baixo, foi: azul ultramarino , azul cobalto, madder lake red light, cadmium yellow lemon e cadmium lemon. Tudo White Nights excepto o azul cobalto que é Van Gogh. É bem mais aberto que o White Nights, mais no tom dos céus da nossa latitude.