Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 26 de março de 2018

Manhã em Óbidos

Um sketcher dá sempre três voltas ao seu ponto de interesse antes de o desenhar, especialmente se também procura um lugar onde se sentar e algo próximo que possa servir de abrigo à possível chuva que se vê aproximar.
O primeiro desenho de Óbidos foi junto à Porta da Vila, a partir da escada da muralha, com algumas correrias até ao abrigo da porta enquanto aqueles diluvios de uma só nuvem, estoiravam de repente e semeavam o caos na rua e no bloco, no abrigo da Porta da Vila encontrava sempre o Luís Frasco, no desenho, em baixo, de vermelho.


O segundo desenho da manhã foi mais calmo, as nuvens tanto ameaçavam chuva como deixavam o Sol brilhar e enquanto a rua principal estava cheia de turistas, algumas ruas e travessas circundantes mantinham-se quase sempre vazias.

6 comentários:

João Santos disse...

Adoro o sol, mas aqui a minha preferência vai mesmo para a atmosfera sombria do 1º desenho :)

Membro USK disse...

Gosto imenso dos dois desenhos. O ambiente é inspirador à criatividade e às palavras. Os contrastes luz/sombra perfeitos!

Ana Ramos disse...

Gosto imenso dos dois. Excelentes contrates luz/sombra. O ambiente, mesmo frio, puxa à inspiração. Parabéns Bruno.

teresa ruivo disse...

Estão os dois fantásticos e mostram bem como o tempo esteve bipolar:)

Suzana disse...

Muito bonitos Bruno, gosto especialmente do segundo, a distribuição do azul, verde e amarelo das casas confere-lhe uma certa harmonia.

L.Frasco disse...

Gandas desenhos, Bruno!!