Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

sexta-feira, 16 de março de 2018

Amor à primeira vista da janela

Há expectativas transversais aos seres humanos. Uma delas é sobre a vista dos quartos de hotel. Se o destino é praia nada mais se espera que aquela varanda em cima do mar.

Quando se viaja em trabalho não há tempo para estar à janela. Ainda assim é a primeira coisa que faço quase antes de pousar a mala.

Esta janela, embora no 5º piso, podia ser completamente aberta, caso raro em edifícios mais modernos ou em cumprimento das regras de segurança mais restritas. Gostei logo da vista. Ainda mais quando me debrucei... com a devida cautela.

Só tinha acontecido uma vez por o despertador para fazer um desenho. Um despertador é um despertador. Não vale a pena dizer que não custa porque é para desenhar.

Nice, 06h45min, 15 de Março de 2018,


Rita 



5 comentários:

teresa ruivo disse...

Uau! Estavas inspirada:))

nelson paciencia disse...

Não está mau.

Bruno Vieira disse...

só pela atitude de começar o dia a desenhar ganhou mais valor

Rita Catita Afonso disse...

Obrigada Teresa, Nelson e Bruno. Gostei mesmo de fazer este desenho independentemente do resultado. Depois tomei um mega mata-bicho a saber a Provença.

Rita Catita Afonso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.