Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

As "ilhas" do Porto

Quando nos finais do século XIX a cidade se começou a industrializar chegaram as populações das zonas rurais. A solução foi fazer casas abarracadas sem esgotos nem abastecimento de água, umas ao lado das outras, com acesso para um estreito corredor e uma única saída para a rua principal.

Actualmente as condições são bastante mais aceitáveis e a sua situação, por ser no centro da cidade, são uma grande vantagem. E há até quem alugue a turistas. Dizem que é uma experiência radical de viver com os locais.




6 comentários:

teresa ruivo disse...

Nem imaginamos como é diverso o actual conceito de turismo:)
Grandes desenhos.

José Louro disse...

Vivi numa destas ilhas, na av Boavista , durante um ano no Porto. O WC era na varanda.
Agora tem piada, mas na altura... pena ainda não desenhar: estava "armado" em designer e trabalhava numa fábrica de máquinas de café expresso domésticas - BRIEL. Penso que já não existe.
Bom spot para desenhar, sem dúvida. :)

nelson paciencia disse...

Que belos registos da invicta!

André Duarte Baptista disse...

belos momentos. gosto muito destas realidades paralelas

Eduardo Salavisa disse...

Boa experiência Zé. Pena não ter ficado registado com os teus desenhos singulares.

Rosário disse...

Gosto destes registos!