Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Aguarelas de Santa Cruz - parte I - O inicio...

Encontro de Internacional de Aguarelas de Santa Cruz é um evento que aos poucos pôs o concelho de Torres Vedras nas principais rotas dos aguarelistas, que tal como nós Urban Sketchers, viajam pelo mundo fora para pintar, ensinar e sobretudo, aprender... O seu mentor, António Bartolo já está ao leme desta iniciativa há 10 anos, que promete afirmar-se como um dos principais encontros de aguarela do país e da Europa.

Quando em Dezembro de 2016, ele me convidou para ser um dos artistas seleccionados para o evento, eu não soube muito bem como responder e  numa estranha mistura de plena felicidade com incredibilidade lá esbocei um tímido "Obrigado!..?" Acho que desde então e até ao momento em que escrevo isto me continuo a perguntar: "Porque é que um desenhador de rua como eu foi convidado para um evento de pintores de aguarela?! What?!"


Sim, eu uso a aguarela e aos poucos fui ficando um pouco refém dela, não porque me acomodei mas porque quero ficar refém, numa espécie de Sindrome de Estocolmo benéfico. É nela que eu vejo novidade a cada desenho que faço, mas no entanto faço questão de salientar que o que eu faço são de facto desenhos... As minhas linhas ainda são (e serão sempre) aquela componente do meu trabalho que melhor me define, enquanto desenhador e potencial artista... 
...no entanto, não há nada de errado (antes pelo contrário) de explorar novos caminhos e enquanto a aguarela me continuar a mostrar novos sentidos, eu vou embarcando e vou desfrutando da viagem.
Para ganhar um pouco de confiança para o que estava para vir, comecei por fazer o que faço normalmente, mas numa folha mais generosa. Assim que acabei, não fiquei nada feliz com o resultado pois não havia nada de novo e naquele instante eu soube logo que esta aventura iria mudar o meu método de desenhar uma vez mais. E nada melhor que um evento desta natureza para nos "forçar" a tal, a estarmos de mente aberta para deixar a novidade e a inovação entrar, quer gostemos ou não do resultado final.

No fim de contas, o que interessa é a viagem e não tanto o destino...

6 comentários:

Celeste Vaz Ferreira disse...

Adoro poder ir assistindo a toda esta evolução.

André Duarte Baptista disse...

continua a viajar e levar-nos nessas viagens. o destino logo se vê, confio plenamente no piloto. parabéns pelo percurso e pelo reconhecimento do teu trabalho

Ana Ramos disse...

A aguarela tem um potencial incrível, cheia de abordagens muito variáveis.
Com ou sem linha, bela viagem ;)

Bruno Vieira disse...

Parabéns ;)

Alexandra Baptista disse...

Com ou sem reféns os desenhos estão lindos.

USKP disse...

Santa Cruz é bem mais feia. Fica linda através destes desenhos.
Leonor Janeiro