Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 25 de julho de 2017

ENcosta: A incrível história do Chico das Medalhas.

Estava a terminar o desenho das casas 49 e 49A quando chegou  o Sr Francisco Vicente (Chico das medalhas para os amigos). - Eu moro nessa casa; disse enquanto apontava para o 49A. E continuou: -Estão perante o homem mais medalhado do mundo. Convidou-nos a entrar para podermos ver os seus troféus. Encontrámos uma divisão repleta de taças desde o chão até ao tecto distribuídas por prateleiras que ocupavam as paredes. Enquanto a Suzana lhe fazia o retrato contou-nos a sua história. Eu fui desenhando  as taças até não caber mais nenhuma no caderno.
Disse-nos que começou a correr aos 54 anos para perder a barriga e logo nesse ano ganhou uma prova. Desde essa altura que tem percorrido mundo. Vai com patrocínios claro porque, como ele diz, se tivesse que pagar 20 euros pela viagem não tinha. Aos 81 anos tinha ganho 81 medalhas de ouro um pouco por todo o mundo, uma por cada ano de idade, sublinhava ele. Com a alcunha de "o papa medalhas que veio do espaço" são raras a corridas em que não fica em primeiro. Hoje tem 84 anos e gaba-se de ter terminado uma prova com 15 minutos de avanço do segundo classificado. Isso gerou desconfiança entre participantes que acharam que ele tinha feito batota. Mas logo ali os desafiou a correrem novamente. No seu discurso nunca lhe faltou energia e boa disposição. Dificultou bastante a vida à Suzana pois estava sempre a levantar-se para mostrar mais uma medalha.

Encontrei uma reportagem do EXPRESSO quando tinha 81 anos. Alguma informação é ligeiramente diferente da que escrevi, mas eu eu ouvi em primeira mão pelo que é essa que considero verdadeira.


O Sr Francisco Mora na casa do Lado Direito
Momento registado pela Suzana Nobre que estava a desenhar ali ao lado.
As taças, as medalhas e os ténis. 1933 data em que o Sr. Francisco nasceu.



6 comentários:

Pedro disse...

Grande história! Parabéns!

Lurdes Morais disse...

Lindo! Estes registos ainda vão é dar um livro! Merecem.

Pedro Loureiro disse...

Chiça! Que achado!

Bruno Vieira disse...

Confesso que desconhecia por completo a sua história apesar de já ter falado com ele. Que registo fabuloso

L.Frasco disse...

Os desenhos fazem jus à história incrível deste atleta "tardio".
Então o da perspectiva da escadaria tá demais!

Jose Manuel Ferreira disse...

Excelente o trabalho que executaste durante a semana que estiveste em Torres Vedras, os meus parabéns para ti e para a Suzana.