Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Algarve à sombra_parte II

Caderno novo. Sempre um drama a selecção de um novo caderno, sobretudo quando passamos de Ferrari (laloran) para um Fiat (Tiger). A mudança de cadernos é sempre um desafio interessante, obriga-me a ajustar a forma de desenhar. Confesso que estou a gostar deste formato.
 
O desenho que se segue foi feito à porta da igreja. 12h30 - hora da partilha. Enquanto conversávamos fui desenhando este enquadramento.
 
 
Partilha feita, hora de comer. Descemos as escadinhas rumo ao cais. Depois de algumas indecisões, decidimo-nos pelo Restaurante (outrora Tasca) Borda do Cais. Sardinha assada para todos.
No interior tinha este enquadramento.
 
 
Depois do almoço, o objetivo era desenhar as ruas estreitas de Ferragudo. Encontrei um recanto com banco de jardim. Muitas casas devolutas. Por outro lado enquanto desenhava, passavam vários turistas, a maioria ingleses e franceses, com cadernos na mão a apontar contactos de imobiliárias. Alguns deles ligaram dali mesmo, percebendo-se o forte interesse em investirem. Independentemente das opiniões ou receios que isso nos traga, alguma coisa tem de ser feita. O estado de abandono e degradação em que as ruas se encontram, é que não pode continuar.
 
 
Mais um conjunto de casas devolutas. Para além do ruído do talher, das televisões e das crianças mais "agitadas", uma presença constante são as gaivotas
 
 
 
Amanhã há mais....
 

6 comentários:

Rosário disse...

Desenhos fantásticos num "fiat"!

Ana Crispim disse...

Estes cadernichos são muiiiiiito bons para desenhar. Fico à espera dos próximos!

Alexandra Baptista disse...

Gosto sas cores, gosto da sequência... de tudo.

Bruno Vieira disse...

Cada vez gosto mais destes teus traços descontraidos

teresa ruivo disse...

Gosto particularmente do último. Muito giro!

André Duarte Baptista disse...

obrigado pelos comentários :-)