Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Diário gráfico nº 28

Sim, acabei o meu caderno de merceeiro. Ufa. Que era enorme e não dá muito jeito para o dia-a-dia. 
Como de costume, dei início ao próximo com recurso à táctica do costume:
Oh Tomás faz-me aí um desenho para abrir este caderno! - Sobre quê? - pergunta ele sempre. 
- Pode ser o papá- respondo invariavelmente.
- Estááá beeem - começa ele meio contrariado.
Tudo isto, pelas 8:30 da manhã, antes de sair de casa. Pintei-o depois ao almoço. 

2 comentários:

Rosário disse...

Como desenha bem o Tomás!

teresa ruivo disse...

Um desenho a duas mãos! Resultou muito bem!